sicnot

Perfil

Mundo

Metade do novo Governo canadiano é composto por mulheres

O novo Governo Federal do Canadá, hoje empossado numa cerimónia que decorreu em Otava, conta pela primeira vez com uma composição paritária de homens e mulheres.

© Blair Gable / Reuters

Na capital do Canadá, no Rideau Hall, a residência oficial do governador-geral, David Johnston, o novo primeiro-ministro do país, Justin trudeau, nomeou para a sua equipa 30 ministros, 19 deles estreantes.

Este é a primeira vez na história canadiana em que metade do elenco governativo é do sexo feminino.

"Estamos em 2015", recordou Justin Trudeau, ao justificar a forte presença feminina no seu executivo.

O novo ministro das Finanças, que foi pela primeira vez eleito deputado, é o empresário milionário de Toronto Bill Morneau.

O novo gabinete inclui alguns nomes com alguma experiência do Partido Liberal (esquerda), nomeadamente John McCallum (Imigração) Stephane Dion (Negócios Estrangeiros) e Ralph Goodael (Segurança Publica).

O Partido Liberal venceu as eleições legislativas do Canadá de 19 de outubro com maioria absoluta, após uma quase uma década de governo conservador.

Foram eleitos dois deputados lusodescendentes, ambos liberais: Peter Fonseca, pelo distrito eleitoral de Mississauga East - Cooksville, na área de Toronto, e Alexandra Mendes, a sul de Montreal, em Brossard-Saint Lambert.

Está agendada para o 13 de novembro, no parlamento em Otava, a cerimónia oficial de tomada de posse dos deputados.

No dia 3 de dezembro vão iniciar-se os trabalhos da legislatura, com o 'Discurso do Trono', que traça os principais objetivos do governo, previsto ser anunciado no dia seguinte.

Lusa

  • Canadá tem novo primeiro-ministro

    Mundo

    Justin Trudeau tem 43 anos, é um antigo professor, e filho de um ex-primeiro ministro do país, Pierre Trudeau. Membro do parlamento desde 2008, e líder do Partido Liberal, torna-se no segundo primeiro-ministro mais novo do Canadá. Restaurar a imagem do país no estrangeiro e aliviar a carga fiscal da classe média são alguns dos objetivos traçados por Justin Trudeau.

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.