sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro romeno renuncia ao cargo após incêndio em discoteca

O primeiro-ministro romeno, Victor Ponta, renunciou hoje ao cargo, após uma manifestação de cerca de 20.000 pessoas, na terça-feira, a exigir a sua demissão devido à morte de 32 pessoas num incêndio numa discoteca na sexta-feira.

Victor Ponta, primeiro-ministro romeno (Arquivo)

Victor Ponta, primeiro-ministro romeno (Arquivo)

© Inquam Photos / Reuters

"Estou a renunciar ao cargo de primeiro-ministro. Espero que a renúncia satisfaça as pessoas que vieram para as ruas", disse Ponta a um canal televisivo.

Na terça-feira, milhares de pessoas saíram à rua para protestar contra o Governo e exigir a demissão de Victor Ponta por causa do incêndio numa discoteca de Bucareste, ao ser usado fogo-de-artifício, incidente que provocou pelo menos 32 mortos e 184 feridos.

Com cartazes em que se podia ler "a corrupção mata", as cerca de 20 mil pessoas desfilaram nas ruas de Bucareste denunciando a forma como as autoridades passam autorizações para que discotecas e outros estabelecimentos abram portas, sem a existência de inspeções.

Os protestos alastraram às cidades de Brasov e Ploiesti, na Roménia Central, tendo sido convocadas através da rede social Facebook outras manifestações para os próximos dias, em vários outros locais.

De acordo com declarações de testemunhas ouvidas pela EFE, havia um pequeno artefacto pirotécnico na discoteca, utilizado com frequência nas celebrações de aniversários na Roménia, que soltou faíscas e que fizeram com que um pilar começasse a arder.

Segundos depois, as chamas chegaram ao teto, o que provocou o pânico entre as 400 pessoas que estavam no clube e levou a que a multidão tentasse sair do espaço.

No domingo, um responsável pelos serviços de emergência do país precisou que ainda havia 140 pessoas hospitalizadas, das quais mais de 30 em estado crítico, razão pela qual as autoridades não descartam a possibilidade de o número de mortos continuar a aumentar.

O fogo no "Club Colectiv", no centro da capital romena, teve início perto das 23:00 de sexta-feira (21:00 em Lisboa), numa altura em que centenas de pessoas se encontravam no interior do espaço noturno para assistir à promoção do novo álbum do grupo de rock local "Goodbye to Gravity".

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41