sicnot

Perfil

Mundo

Suécia sem meios para alojar todos os refugiados

A Suécia alertou hoje que não consegue continuar a garantir alojamento para todos os migrantes, esperando assim dissuadir os candidatos a asilo de se deslocarem para o país que atingiu o limite das suas capacidades.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Scanpix Denmark / Reuters

"O número de requerentes de asilo está a aumentar mais depressa que o número de alojamentos que conseguimos pôr à disposição", declarou o ministro das Migrações, Morgan Johansson, em conferência de imprensa.

Os refugiados que entraram na Suécia e a quem a Agência das Migrações não pôde oferecer guarida deverão agora "procurá-la eles mesmos ou virar-se para outros países", acrescentou.

Segundo o ministro, a mensagem é claramente destinada a diminuir o fluxo de entrada de migrantes na Suécia, atraídos pelas generosas condições de acolhimento e concessão automática de asilo para os refugiados sírios.

"Se explicarmos a atual situação na Suécia, pode ser que a informação chegue a quem ainda está a caminho [do país] e leve a uma mudança de planos", observou.

Principal destino dos migrantes na Europa, em relação à sua população (9,8 milhões de habitantes), a Suécia, que prevê receber até 190.000 requerentes de asilo este ano, exige agora dos seus parceiros europeus a relocalização de uma parte dos seus refugiados.

"A Suécia assumiu durante muito tempo uma grande responsabilidade, quando comparada com os outros países da União Europeia, e agora estamos numa situação extremamente difícil. Está na altura de outros países assumirem as suas responsabilidades", argumentou o primeiro-ministro, Stefan Löfven.

Hoje, a Agência das Migrações emitiu um apelo para encontrar com urgência novos alojamentos para pelo menos 20.000 pessoas.

No fim de outubro, o Governo e a oposição chegaram a acordo sobre uma série de medidas destinadas a deter o afluxo de requerentes de asilo, a maioria das quais entrará em vigor no segundo semestre de 2016.

A Suécia prevê emitir vistos de residência temporários em vez de permanentes a alguns dos requerentes, aumentar os recursos para atender às necessidades de reunificação familiar e acelerar a deportação até à fronteira dos candidatos rejeitados.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57