sicnot

Perfil

Mundo

Obama e Cameron admitem possibilidade de bomba a bordo do avião russo

O Presidente norte-americano e o primeiro-ministro britânico admitiram na quinta-feira à noite que a queda do avião russo da MetroJet no Egito, no sábado passado, pode ter sido provocada pela explosão de uma bomba a bordo.

David Cameron, primeiro-ministro britânico ao lado de Barack Obama, Presidente norte-americano.

David Cameron, primeiro-ministro britânico ao lado de Barack Obama, Presidente norte-americano.

Reuters

"Eu acho que há a possibilidade de uma bomba a bordo, e estamos a levar isso muito a sério", disse Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos, em declarações a uma rádio norte-americana.

Barack Obama salientou, contudo, que ainda é muito cedo para o dizer com certeza.

Em Londres, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, considerou muito provável que tenha sido uma bomba a provocar a queda do avião russo.

O ramo do grupo extremista Estado Islâmico no Egito assumiu a responsabilidade pela queda do avião no sábado no Egito, que provocou a morte a 224 pessoas, mas não especificou como o fez.

Lusa

  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Pescador resgatado de um lago gelado na Estónia
    1:08
  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.