sicnot

Perfil

Mundo

Presidente dos EUA rejeita oleoduto para transportar betuminosas do Canadá

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rejeitou hoje a construção de um controverso oleoduto, Keystone XL, entre o país e o Canadá, encerrando anos de um tenso debate político.

© Jonathan Ernst / Reuters

Obama justificou a rejeição explicando que o plano "não serve os interesses nacionais dos Estados Unidos", porque não iria ajudar o meio ambiente e também não iria contribuir significativamente para o crescimento da economia a médio prazo, além de não ir baixar de forma visível os preços da energia.

Em causa estão as areias betuminosas do Canadá, afirmando o Presidente que em vez de construir um oleoduto de 1.900 quilómetros (de Alberta ao Golfo do México) os Estados Unidos deveriam antes concentrar-se no desenvolvimento de tecnologias que produzam empregos e energia limpa.

"A América é agora um líder mundial quando se trata de tomar medidas sérias para combater as alterações climáticas", disse Barack Obama, acrescentando que se aprovasse o projeto iria por em causa essa liderança.

Os comentários do Presidente surgem poucas semanas antes de viajar para Paris (Conferência de Paris) para participar numa cimeira sobre alterações climáticas e da qual deve de sair um acordo para limitar as emissões de carbono em todo o mundo.

A rejeição norte-americana ao projeto acontece poucos dias depois da posse do novo primeiro-ministro do Canadá (centro-esquerda), Justin Trudeau, que já lamentou a decisão de Obama mas que concordou em trabalharem conjuntamente em questões como a energia e o clima.

A decisão de hoje surge mais de sete anos depois do primeiro pedido de construção do oleoduto, destinado a transportar petróleo e areias betuminosas do Canadá. Nos Estados Unidos foi saudade pelos democratas e por ambientalistas e criticada pelos republicanos.

Justin Trudeau lamentou a decisão do Presidente norte-americano mas acrescentou que as relações entre os dois países são muito mais importantes do que um projeto.

TransCanada, o operador do oleoduto, anunciou entretanto em comunicado que ia examinar as opções e admitiu apresentar uma nova proposta de oleoduto.

O projeto sempre foi muito criticado pelos ambientalistas, que dizem que a extração das areias betuminosas implica um grande gasto de energia e produz grandes quantidades de gases com efeito de estufa.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.