sicnot

Perfil

Mundo

Presidente dos EUA rejeita oleoduto para transportar betuminosas do Canadá

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rejeitou hoje a construção de um controverso oleoduto, Keystone XL, entre o país e o Canadá, encerrando anos de um tenso debate político.

© Jonathan Ernst / Reuters

Obama justificou a rejeição explicando que o plano "não serve os interesses nacionais dos Estados Unidos", porque não iria ajudar o meio ambiente e também não iria contribuir significativamente para o crescimento da economia a médio prazo, além de não ir baixar de forma visível os preços da energia.

Em causa estão as areias betuminosas do Canadá, afirmando o Presidente que em vez de construir um oleoduto de 1.900 quilómetros (de Alberta ao Golfo do México) os Estados Unidos deveriam antes concentrar-se no desenvolvimento de tecnologias que produzam empregos e energia limpa.

"A América é agora um líder mundial quando se trata de tomar medidas sérias para combater as alterações climáticas", disse Barack Obama, acrescentando que se aprovasse o projeto iria por em causa essa liderança.

Os comentários do Presidente surgem poucas semanas antes de viajar para Paris (Conferência de Paris) para participar numa cimeira sobre alterações climáticas e da qual deve de sair um acordo para limitar as emissões de carbono em todo o mundo.

A rejeição norte-americana ao projeto acontece poucos dias depois da posse do novo primeiro-ministro do Canadá (centro-esquerda), Justin Trudeau, que já lamentou a decisão de Obama mas que concordou em trabalharem conjuntamente em questões como a energia e o clima.

A decisão de hoje surge mais de sete anos depois do primeiro pedido de construção do oleoduto, destinado a transportar petróleo e areias betuminosas do Canadá. Nos Estados Unidos foi saudade pelos democratas e por ambientalistas e criticada pelos republicanos.

Justin Trudeau lamentou a decisão do Presidente norte-americano mas acrescentou que as relações entre os dois países são muito mais importantes do que um projeto.

TransCanada, o operador do oleoduto, anunciou entretanto em comunicado que ia examinar as opções e admitiu apresentar uma nova proposta de oleoduto.

O projeto sempre foi muito criticado pelos ambientalistas, que dizem que a extração das areias betuminosas implica um grande gasto de energia e produz grandes quantidades de gases com efeito de estufa.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Johnny Depp sugere assassínio de Trump
    0:31