sicnot

Perfil

Mundo

Abertas assembleias de voto para legislativas na Birmânia

As assembleias de voto abriram na Birmânia para as primeiras eleições livres em mais de 25 anos, que podem dar a vitória à Liga Nacional para a Democracia (LND, oposição) de Ang San Suu Kyi.

© Stringer . / Reuters

"As assembleias de voto estão abertas", anunciou a comissão eleitoral às 06:00 locais de domingo (23:30 de sábado em Lisboa).

Cerca de 30 milhões de birmaneses são esperados nas assembleias de voto para substituir os representantes das duas câmaras, que deverão, alguns meses depois, escolher o presidente.

Mais de 93 partidos políticos apresentaram candidatos e milhares de birmaneses vão votar pela primeira vez, num país dominado desde 1962 pelos militares.

As legislativas anteriores realizaram-se em novembro de 2010, quando a junta organizou as primeiras eleições em 20 anos. A LND boicotou o escrutínio e foi dissolvida.

Nas legislativas de maio de 1990, a LND tinha conquistado mais de 80% dos lugares, mas os militares no poder rejeitaram os resultados.

Em 2012, numas legislativas parciais, Aung San Suu Kyi, de 70 anos, foi eleita deputada e assumiu a liderança da oposição parlamentar, na sequência da vitória triunfal da LND.

Prémio Nobel da Paz em 1991, Suu Kyi, que a junta militar manteve sob detenção durante mais de 15 anos, está impedida de se candidatar à presidência birmanesa devido a um artigo da Constituição, que exclui pessoas casadas ou com filhos estrangeiros - uma disposição que se considera visar diretamente a opositora, viúva de um britânico e com filhos de nacionalidade britânica.

O escrutínio é visto como um teste à transição democrática em curso desde da autodissolução do regime militar em 2011.

Lusa

  • Governo de Myanmar assina acordo com rebeldes a poucas semanas das legislativas
    0:49

    Mundo

    O Governo de Myanmar assinou hoje um acordo de cessar fogo com oito dos 15 principais grupos rebeldes. É o culminar de mais de dois anos de negociações. O objetivo é terminar com os conflitos étnicos na antiga Birmânia e dar início a um processo de diálogo. O acordo foi assinado a menos de um mês para as eleições legislativas no país. As oito guerrilhas saíram da lista de organizações ilegais e terroristas.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.