sicnot

Perfil

Mundo

Uma bebida energética por dia aumenta o risco de problemas cardíacos

A ingestão de apenas uma bebida energética por dia aumenta o risco de problemas cardíacos em jovens adultos. A bebida provoca picos nos níveis tanto da hormona do stress - a noradrenalina - como sobre a pressão arterial que são nocivos.

© Wolfgang Rattay / Reuters

A investigação foi feita nos Estados Unidos e envolveu 25 voluntários com mais de 18 anos, sem historial de problemas cardiovasculares. Um primeiro grupo ingeriu a bebida energética e, cerca de meia-hora depois, o nível da noradrenalina no organismo aumentou quase 74%. Quem tomou um bebida falsa, registou um aumento de 31%.

No primeiro grupo, a pressão arterial aumentou 6,4%, enquanto que no segundo grupo subiu 1%. São alterações que potenciam problemas cardíacos, mesmo em adultos saudáveis. Naqueles que têm já predisposição para estas doenças, que tenham hipertensão ou batimento cardíaco irregular, o receio é maior.

A bebida energética que foi dada ao primeiro grupo dos voluntário foi a mais vendida nos Estados Unidos - Rockstar. Contém 240 mg de cafeína (cerca do dobro da quantidade numa chávena de café) e 2,000 mg de taurina (uma substância química estimulante). Tem ainda extrato de semente de guaraná, raíz de gingseng e cardo-mariano.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.