sicnot

Perfil

Mundo

Morreu o ex-chanceler alemão Helmut Schmidt

O ex-chanceler alemão Helmut Schmidt morreu hoje, aos 96 anos, depois de o seu estado de saúde se ter degradado significativamente no último fim de semana, indicou a agência de notícias alemã.

© POOL New / Reuters

O antigo dirigente social-democrata, chanceler de 1974 a 1982, era um grande fumador, tinha um pacemaker desde 1981 e teve em 2012 um enfarte do miocárdio, tendo sido submetido a um 'bypass' coronário.

Tornou-se chanceler em 1974 após a demissão de outra grande figura da social-democracia alemã, Willy Brandt, e foi reconduzido em 1976 e 1980.

Inflexível face à violência do grupo de extrema-esquerda Fração do Exército Vermelho (RAF), também conhecido como Baader-Meinhof, Schmidt foi o homem das reformas sociais e da distensão com o Leste.

O "chanceler de ferro" foi o primeiro a denunciar a implantação dos mísseis balísticos soviéticos SS-20, em 1977, e a defender a dos euromísseis da NATO.

Europeu convicto, criticou o modo como o seu sucessor Helmut Kohl conduziu a unificação da Alemanha.

Schmidt foi ainda o "pai", com o antigo presidente francês Valéry Giscard d'Estaing, do sistema monetário europeu.

Retirado da vida política há mais de 30 anos, ainda recentemente contribuía para os debates políticos e intelectuais do seu país.

Autor de três dezenas de livros, foi chefe de redação (1983) e depois diretor (1985-1989) do Die Zeit, um dos mais prestigiados semanários alemães.

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é portuguesa e há uma outra portuguesa desaparecida. Entretanto, uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Cambrils. As buscas centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42