sicnot

Perfil

Mundo

Dilma anuncia multa de 61,5 milhões a empresa responsável pela barragem

A Presidente brasileira Dilma Rousseff anunciou hoje uma multa de 250 milhões de reais (61,5 milhões de euros) à empresa Samarco, responsável pela barragem que se rompeu em Minas Gerais e provocou pelo menos seis mortos e 21 desaparecidos.

Dilma Roussef, Presidente do Brasil.

Dilma Roussef, Presidente do Brasil.

© Lehtikuva Lehtikuva / Reuters

"As empresas têm de ser responsabilizadas por várias coisas. Primeiro, pelo atendimento emergencial da população. Segundo, por buscas de soluções mais estáveis, mais perenes. E, terceiro, pela reconstrução", disse Rousseff, citada pelo jornal Valor Econômico, em conferência de imprensa na cidade Governador Valadares, em Minas Gerais.

A Presidente realçou que a Samarco violou legislações ambientais e citou as proprietárias da mineradora, a brasileira Vale e a anglo-australiana BHP Billiton.

Hoje à hoje, Rousseff sobrevoou a região afetada, uma semana após a rutura de duas barragens da Samarco na cidade de Mariana.

A lama com resíduos da mineração invadiu o distrito de Bento Rodrigues, onde destruiu mais de 150 casas, e espalhou-se pelo Rio Doce, afetando a distribuição de água em cidades dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

Rousseff afirmou na conferência que a multa preliminar se deve ao dano ambiental e no património público, na bacia hidrográfica e a interrupção de energia elétrica, mas os estados atingidos também poderão pedir reparações, segundo a imprensa brasileira.

A Justiça na cidade de Governador Valadares determinou que a Samarco forneça água ao município, devido à contaminação do Rio Doce.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.