sicnot

Perfil

Mundo

Dilma anuncia multa de 61,5 milhões a empresa responsável pela barragem

A Presidente brasileira Dilma Rousseff anunciou hoje uma multa de 250 milhões de reais (61,5 milhões de euros) à empresa Samarco, responsável pela barragem que se rompeu em Minas Gerais e provocou pelo menos seis mortos e 21 desaparecidos.

Dilma Roussef, Presidente do Brasil.

Dilma Roussef, Presidente do Brasil.

© Lehtikuva Lehtikuva / Reuters

"As empresas têm de ser responsabilizadas por várias coisas. Primeiro, pelo atendimento emergencial da população. Segundo, por buscas de soluções mais estáveis, mais perenes. E, terceiro, pela reconstrução", disse Rousseff, citada pelo jornal Valor Econômico, em conferência de imprensa na cidade Governador Valadares, em Minas Gerais.

A Presidente realçou que a Samarco violou legislações ambientais e citou as proprietárias da mineradora, a brasileira Vale e a anglo-australiana BHP Billiton.

Hoje à hoje, Rousseff sobrevoou a região afetada, uma semana após a rutura de duas barragens da Samarco na cidade de Mariana.

A lama com resíduos da mineração invadiu o distrito de Bento Rodrigues, onde destruiu mais de 150 casas, e espalhou-se pelo Rio Doce, afetando a distribuição de água em cidades dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

Rousseff afirmou na conferência que a multa preliminar se deve ao dano ambiental e no património público, na bacia hidrográfica e a interrupção de energia elétrica, mas os estados atingidos também poderão pedir reparações, segundo a imprensa brasileira.

A Justiça na cidade de Governador Valadares determinou que a Samarco forneça água ao município, devido à contaminação do Rio Doce.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".