sicnot

Perfil

Mundo

Canadiano vê selfie manipulada para parecer terrorista de ataques de Paris

Um cidadão canadiano membro de comunidade hindu descobriu, este sábado, que uma versão manipulada de uma selfie sua estava a circular nas redes sociais, como uma fotografia de um dos terroristas por detrás dos ataques de Paris.

Grasswire fact check

Um dos jornais de maior dimensão em Espanha, o La Razón, pediu publicamente desculpas depois de ter divulgado uma fotografia de um homem sikh, referido como sendo um dos terroristas responsáveis pelos ataques de sexta-feira em Paris.

A selfie era de Veerender Jubbal. Na versão original, Jubbal aparecia de iPad na mão, na sua casa de banho. Na versão manipulada, o iPad foi substituído pelo Corão e foi acrescentado um colete de explosivos. A fotografia foi difundida nas redes sociais e chegou a ser usada por alguns jornais.

Não se sabe ainda que editou a imagem e porquê, embora haja quem sugira que a motivação possam ter sido as críticas que Jubbal tem feito ao movimento #Gamergate - uma nova polémica que emergiu há uns meses na indústria dos videojogos, uma troca de argumentos que envolve produtores de jogos, jornalistas e jogadores.

Jubbal, que se define como escritor freelancer, crítico de jogos e consultor no Twitter, tem sido criticado no passado pelas posições que defende em relação a esta indústria.

Assim que deu pelo sucedido, Jubbal usou o Twitter para esclarecer o mal entendido.

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão