sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortes por terrorismo aumenta 80% em 2014

O número de mortes por terrorismo aumentou 80 por cento em 2014 em comparação com o ano anterior, segundo um relatório internacional divulgado hoje, em que se assinala tratar-se do maior aumento anual dos últimos 15 anos.

© Sergio Perez / Reuters

O Global Terrorism Index (Índice do Terrorismo Global - ITG) 2015, realizado pelo Instituto para a Economia e Paz (IEP), sediado em Sydney, indica que o terrorismo continua "muitíssimo concentrado" com 78% das mortes em 2014 a ocorrerem em apenas cinco países -- Afeganistão, Iraque, Nigéria, Paquistão e Síria.

Apesar de concentrado, o terrorismo tem-se alargado a mais países, segundo o estudo, em que se aponta que o número de países com mais de 500 mortes passou de cinco em 2013 para 11 em 2014, um aumento de 120%.

O ITG refere que Somália, Ucrânia, Iémen, República Centro-Africana, Sudão do Sul e Camarões são os seis novos países com mais de 500 mortes devido ao terrorismo.

Também aumentou oito vezes o número de países com pelo menos uma morte atribuída ao terrorismo, para um total de 67. Entre estes estão países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) como a Áustria, Austrália, Bélgica, Canadá e França.

O estudo sublinha, no entanto, que cerca de 60% dos 162 países que abrange "não registaram qualquer morte por terrorismo em 2014".

Os resultados indicam ainda uma intensificação da ameaça terrorista na Nigéria, que registou "o maior aumento de mortes devido ao terrorismo já registado por qualquer país, um aumento de mais de 300% para 7.512".

Segundo o relatório, ao movimento radical islâmico nigeriano Boko Haram, que atua na Nigéria desde 2009, juntou-se em 2014 outro grupo terrorista, os militantes Fulani, que mataram 1.229 pessoas.

O Boko Haram "tornou-se o grupo terrorismo mais mortífero do mundo", refere o ITG, precisando que o número de mortes atribuídas ao Boko Haram em 2014 é de 6.664, enquanto o movimento extremista Estado Islâmico (EI) é considerado responsável por 6.073 mortes no mesmo ano.

EI e Boko Haram são responsáveis por 51% das mortes atribuídas a um grupo terrorista, adianta o estudo.

O ITG assinala ainda que, reproduzindo o aumento do terrorismo, aumentou significativamente o seu custo económico, que "atingiu o seu nível mais elevado de sempre em 2014, 52.9 mil milhões de dólares (49.5 mil milhões de euros)".

"Isto é mais 61% do que no ano anterior e significa que aumentou 10 vezes mais desde 2000", indica o estudo.

Apesar dos dados sobre terrorismo que apresenta no relatório, o Instituto para a Economia e Paz considera "importante colocá-los em contexto com outras formas de violência" e nota que "pelo menos 437.000 pessoas são assassinadas anualmente, o que é 13 vezes mais do que o número de vítimas do terrorismo".

Lusa