sicnot

Perfil

Mundo

Daesh anuncia execução de refém chinês e norueguês

O grupo extremista Daesh ("Estado Islâmico") anunciou esta quarta-feira ter executado dois reféns, um chinês e um norueguês, dois meses depois de ter pedido resgate para a libertação de ambos.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Reuters TV / Reuters

A revista de língua inglesa do grupo 'jihadista', Dabiq Magazine, publicou fotos de dois cadáveres ensanguentados que pareciam ser do refém chinês Fan Jinghui e do norueguês Ole-Johan Grimsgaard-Oftsad.

Os corpos foram fotografados ao lado de fotos dos reféns vendados, aparentemente tiradas pouco antes da sua execução.

Numa legenda tipo carimbo, colocada em diagonal na página, sobre a foto, lê-se "Executado depois de ser abandonado pelas nações e organizações kafir (infiéis)".

Não ficou claro como é que foram mortos, mas as suas cabeças estavam ensanguentadas devido a aparentes ferimentos de bala.

Foi o 12.º número da publicação do EI, um dos muitos braços da máquina mediática da organização 'jihadista' multilingue.

Jinghui e Grimsgaard-Oftsad tinham já aparecido na revista, na edição de setembro, na qual o grupo extremista pedia uma quantia não especificada pela sua libertação.

Nem essa edição nem aquela que foi hoje publicada forneciam pormenores sobre onde e quando os dois homens foram capturados, mantidos presos e mortos.

Jinghui era um consultor de 50 anos e Grimsgaard-Ofstad, de 48 anos, estava ligado a uma universidade em Trondheim.

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.