sicnot

Perfil

Mundo

Dias mais curtos aumentam agressividade nas mulheres

Os dias de Inverno com menos horas de luz provocam reações comportamentais diferentes em fêmeas e machos. De acordo com uma investigação norte-americana, o mecanismo hormonal nos dois sexos não é igual e, nas mulheres, provoca maior agressividade.

Reuters

Os investigadores da Universidade de Indiana, nos EUA, descobriram que o sistema hormonal de fêmeas hamster reage de forma diferente dos machos, tornando-as mais agressivas. Este estudo, publicado em Proceedings of the Royal Society B, avança assim no conhecimento da ligação entre certas hormonas sexuais e a agressão e ajudará na investigação e tratamento de agressividade nos seres humanos.

"Os resultados mostram pela primeira vez que a melatonina age diretamente nas glândulas supra renais das fêmeas, desencadeando 'agressão sazonal' - num processo diferente do acontece com os homens", disse um dos autores do estudo Nikki Rendon ao site EurekAlert da AAAS.

A investigação foi realizada com hamsters Phodopus sungorus, uma espécie que tem um sistema endócrino semelhante ao dos seres humanos. 130 hamsters estiveram expostos a dias longos durante uma semana, depois, 45 foram expostos a dias mais curtos durante 10 semanas.

Quando confrontadas com um intruso, as fêmeas que viveram nos dias mais curtos demonstraram mais agressividade e alterações nas glândulas supra renais. As outras fêmeas não demonstraram nem o comportamento nem as alterações no organismo.

"É cada vez mais claro que as hormonas sexuais desempenham um papel importante no controlo da agressão, tanto em fêmeas como em machos - mas as fêmeas - humanas ou não - são poucas vezes alvo de estudos científicos", confessa Nikki Rendon. "Ao focarmos esta investigação nas fêmeas, estamos a aumentar o nosso conhecimento sobre as hormonas e os comportamentos sociais num campo atualmente dominado pelas discussões sobre a testosterona que regula a agressão nos machos", conclui o investigador.

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.