sicnot

Perfil

Mundo

Dias mais curtos aumentam agressividade nas mulheres

Os dias de Inverno com menos horas de luz provocam reações comportamentais diferentes em fêmeas e machos. De acordo com uma investigação norte-americana, o mecanismo hormonal nos dois sexos não é igual e, nas mulheres, provoca maior agressividade.

Reuters

Os investigadores da Universidade de Indiana, nos EUA, descobriram que o sistema hormonal de fêmeas hamster reage de forma diferente dos machos, tornando-as mais agressivas. Este estudo, publicado em Proceedings of the Royal Society B, avança assim no conhecimento da ligação entre certas hormonas sexuais e a agressão e ajudará na investigação e tratamento de agressividade nos seres humanos.

"Os resultados mostram pela primeira vez que a melatonina age diretamente nas glândulas supra renais das fêmeas, desencadeando 'agressão sazonal' - num processo diferente do acontece com os homens", disse um dos autores do estudo Nikki Rendon ao site EurekAlert da AAAS.

A investigação foi realizada com hamsters Phodopus sungorus, uma espécie que tem um sistema endócrino semelhante ao dos seres humanos. 130 hamsters estiveram expostos a dias longos durante uma semana, depois, 45 foram expostos a dias mais curtos durante 10 semanas.

Quando confrontadas com um intruso, as fêmeas que viveram nos dias mais curtos demonstraram mais agressividade e alterações nas glândulas supra renais. As outras fêmeas não demonstraram nem o comportamento nem as alterações no organismo.

"É cada vez mais claro que as hormonas sexuais desempenham um papel importante no controlo da agressão, tanto em fêmeas como em machos - mas as fêmeas - humanas ou não - são poucas vezes alvo de estudos científicos", confessa Nikki Rendon. "Ao focarmos esta investigação nas fêmeas, estamos a aumentar o nosso conhecimento sobre as hormonas e os comportamentos sociais num campo atualmente dominado pelas discussões sobre a testosterona que regula a agressão nos machos", conclui o investigador.

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33