sicnot

Perfil

Mundo

Impressão em 3D recria sistema vascular e salva paciente

Em Nova Iorque, um grupo de médicos decidiu imprimir em 3D o sistema vascular cerebral de uma paciente com um aneurisma. Objetivo: praticar antes da cirurgia, que se adivinhava arriscada, e diminuir os riscos.

Theresa Flint a paciente que tinha o aneurisma pega no molde 3D que permitiu os médicos praticar a intervenção cirúrgica ao seu cérebro

Theresa Flint a paciente que tinha o aneurisma pega no molde 3D que permitiu os médicos praticar a intervenção cirúrgica ao seu cérebro

Conta a BBC que uma nova-iorquina, a quem foi diagnosticado um aneurisma no cérebro, precisava rapidamente de uma intervenção cirúrgica.

O procedimento normal seria implantar uma espécie de rede metálica para reforçar a parede da artéria.

O problema é que a abordagem poderia ser fatal para a paciente. A TC ou tomografia computadorizada revelou que a artéria em causa estava torcida e seria muito difícil conseguir aceder ao local danificado e implantar a prótese.

"Os humanos têm vários pontos em comum, mas a nossa árvore vascular é como as impressões digitais" disse Adnan Siddiqui, diretor do Instituto Jacobs em Buffalo, Nova Iorque, onde se encontrava a doente.

Foi então que decidiu, com a ajuda de um especialista em impressões 3D, fazer uma réplica, em menos de 24 horas, do "mapa vascular" do cérebro da paciente.

Com as imagens das tomografias imprimiram a réplica em tamanho real com foto polímero flexível que imita não só a aparência do tecido humano como também a estrutura vascular.

Antes da operação testaram a melhor forma de chegar ao tecido danificado e conseguiram ainda determinar os materiais que deviam usar na cirurgia dada a anatomia da paciente.

A cirurgia que, em circunstâncias normais duraria 3 a 4 horas, foi feita em apenas 45 minutos. Foi um sucesso e salvou a paciente.

Este procedimento além de permitir que os cirurgiões pratiquem cirurgias arriscadas, pode ajudar médicos em formação.

  • Governo quer reduzir gastos com papel na função pública
    1:08

    Economia

    O Governo proibiu a livre utilização das impressoras pelos funcionários públicos. O ministro das Finanças quer assim reduzir em 20% a despesa em consumo de papel e, ao mesmo tempo, minimizar a perigosidades dos resíduos produzidos com as impressoras, no Estado.