sicnot

Perfil

Mundo

Japão quer concentrar 500 militares perto das ilhas disputadas com a China

Japão planeia concentrar um contingente de 500 militares na ilha de Ishigaki, no sudoeste do país, próxima do polémico arquipélago Senkaku, epicentro de uma diferendo territorial com a China.

© Reuters Staff / Reuters

O Japão pretende instalar aquela unidade das suas Forças de Autodefesa (exército) a partir de 2019, informa hoje o jornal Asahi, citando fontes do Ministério da Defesa.

O contingente funcionaria como equipa de resposta rápida em caso de ser detetada uma infiltração de tropas estrangeiras e, ao mesmo tempo, teria como tarefa a operação e manutenção de um sistema de mísseis que se pretende instalar na ilha, que tem cerca de 48.000 habitantes e é um popular destino turístico.

Ishigaki, da qual dependem administrativamente as Senkaku (Diaoyu em chinês), encontra-se a aproximadamente uma centena e meia de quilómetros a sul de Uotsuri, o maior ilhote do controverso arquipélago.

Situadas no Mar do Sul da China, a cerca de 150 quilómetros a nordeste de Taiwan, as disputadas e desabitadas Senkaku têm, no total, uma superfície de cerca de sete quilómetros quadrados, mas estima-se que alberguem importantes recursos marinhos e energéticos.

O Japão tem apostado em reforçar as suas capacidades militares em torno das Senkaku devido ao recrudescimento da disputa com a China, em particular a partir de 2012, quando Tóquio decidiu nacionalizar vários ilhotes, desencadeando o protesto de Pequim.

Desde então, navios chineses têm navegado nas águas, que o Japão considera territoriais, em torno das Senkaku, entre quatro e 28 vezes por mês, segundo dados da guarda costeira nipónica.

No quadro do plano de reforço militar, o Japão está a construir uma base para acolher 150 militares na ilha vizinha de Yonaguni, a porção de terra habitada mais ocidental do arquipélago japonês, e prepara o desembarque de mais tropas nas de Miyakojima e Amami-Oshima, também no sudoeste do país.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC