sicnot

Perfil

Mundo

Japão quer concentrar 500 militares perto das ilhas disputadas com a China

Japão planeia concentrar um contingente de 500 militares na ilha de Ishigaki, no sudoeste do país, próxima do polémico arquipélago Senkaku, epicentro de uma diferendo territorial com a China.

© Reuters Staff / Reuters

O Japão pretende instalar aquela unidade das suas Forças de Autodefesa (exército) a partir de 2019, informa hoje o jornal Asahi, citando fontes do Ministério da Defesa.

O contingente funcionaria como equipa de resposta rápida em caso de ser detetada uma infiltração de tropas estrangeiras e, ao mesmo tempo, teria como tarefa a operação e manutenção de um sistema de mísseis que se pretende instalar na ilha, que tem cerca de 48.000 habitantes e é um popular destino turístico.

Ishigaki, da qual dependem administrativamente as Senkaku (Diaoyu em chinês), encontra-se a aproximadamente uma centena e meia de quilómetros a sul de Uotsuri, o maior ilhote do controverso arquipélago.

Situadas no Mar do Sul da China, a cerca de 150 quilómetros a nordeste de Taiwan, as disputadas e desabitadas Senkaku têm, no total, uma superfície de cerca de sete quilómetros quadrados, mas estima-se que alberguem importantes recursos marinhos e energéticos.

O Japão tem apostado em reforçar as suas capacidades militares em torno das Senkaku devido ao recrudescimento da disputa com a China, em particular a partir de 2012, quando Tóquio decidiu nacionalizar vários ilhotes, desencadeando o protesto de Pequim.

Desde então, navios chineses têm navegado nas águas, que o Japão considera territoriais, em torno das Senkaku, entre quatro e 28 vezes por mês, segundo dados da guarda costeira nipónica.

No quadro do plano de reforço militar, o Japão está a construir uma base para acolher 150 militares na ilha vizinha de Yonaguni, a porção de terra habitada mais ocidental do arquipélago japonês, e prepara o desembarque de mais tropas nas de Miyakojima e Amami-Oshima, também no sudoeste do país.

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.