sicnot

Perfil

Mundo

Rei da Arábia Saudita estuda perdão a "blooger" vencedor do Prémio Sahkarov

Um recurso para que o Rei da Arábia Saudita possa emitir um perdão presidencial ao 'blogger' Raif Badawi, cuja dura sentença gerou uma onda de solidariedade internacional, foi já entregue, disse hoje um diplomata suíço.

© Faisal Nasser / Reuters

"O procedimento para o perdão está em curso junto do chefe de Estado, que é o Rei Salman, disse o secretário de estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Suíça, Yves Rossier, em declarações ao jornal suíço La Liberté, citado pela AFP.

Raif Badawi foi condenado em janeiro de 2012 por crimes cibernéticos a 1000 chibatadas, tendo recebido as primeiras 50 logo em janeiro, mas desde então, no seguimento da pressão internacional, não recebeu mais.

No Parlamento Europeu, Raif Badawi, de 31 anos, foi agraciado com o Prémio Sakharov no mês passado, e na semana passada os diplomatas suíços levantaram o tema junto das autoridades da Arábia Saudita.

A Comissão Europeia salientou a importância que a União Europeia (UE) dá à liberdade de expressão, felicitando a atribuição, pelo Parlamento Europeu, do Prémio Sakharov ao bloguer saudita Raif Badawi.

"A escolha de Badawi sublinha a importância dada pela UE à promoção do debate político e social e o apoio à liberdade de expressão em todo o mundo", disse o porta-voz do executivo comunitário, Margaritis Schinas, na conferência de imprensa diária.

Raif Badawi foi condenado a 10 anos de prisão, a mil chibatadas e a uma multa pesada por ter criado um website para o debate social e político, "Free Saudi Liberals", considerado ofensivo para o Islão.

O ativista está atualmente a cumprir a pena na Arábia Saudita.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43
  • Cerca de 20 mil portugueses vivem em Barcelona
    1:44