sicnot

Perfil

Mundo

Al-Assad acusa França de apoiar terroristas

O Presidente sírio, Bashar al-Assad, acusou a França de "apoiar o terrorismo" e afirmou que considerava Praga um possível local para assinar um acordo de paz que acabasse com a guerra civil no seu país.

© Sana Sana / Reuters

Em declarações transmitidas hoje pela televisão checa, em antecipação de uma entrevista que vai ser transmitida na terça-feira, al-Assad respondia a uma pergunta sobre se admitia assinar na capital checa um acordo de paz, como sugerido pelo Presidente da República Checa, Milos Zeman, em setembro passado.

"Naturalmente. Se perguntar aos sírios, eles dir-lhe-ão que não querem uma conferência de paz em França, por exemplo, porque a França apoia o terrorismo e a guerra, não a paz", disse à televisão pública CT, acrescentando: "E se mencionar Praga, seria bem acolhido, porque o vosso país tem tido uma posição equilibrada".

Enquanto último posto avançado diplomático ocidental na Síria, a embaixada checa tornou-se uma plataforma para contactos confidenciais entre os EUA e a União Europeia com o regime de Damasco, entre vários movimentos relacionados com a negociação do fim da guerra civil, que dura há quatro anos.

A França tem sido inflexível na sua oposição a al-Assad, classificando-o como um "carniceiro" do seu próprio povo e hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, afirmou que trabalhar com o Exército sírio na luta contra o grupo radical Estado Islâmico era uma possibilidade que não se punha até que Assad saísse do poder.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.