sicnot

Perfil

Mundo

Falha mecânica causou acidente mortal do voo da AirAsia em 2014

Uma falha mecânica foi a causa principal do acidente mortal do Airbus 320-200 da AirAsia, o voo QZ8501, que em 28 de dezembro de 2014 se despenhou nas águas da ilha do Bornéu com 162 pessoas a bordo, anunciaram hoje as autoridades indonésias.

© POOL New / Reuters

Os repetidos erros no computador do avião, causados por uma falha mecânica, levaram o piloto a perder controlo do aparelho, indicou o Comité Nacional de Segurança de Transportes da Indonésia, numa conferência de imprensa em Jacarta, segundo o Channel NewsAsia.

O relatório final apresentado hoje estabelece que o computador de bordo falhou quatro vezes antes de a aeronave entrar "num estado de bloqueio prolongado, além da capacidade de recuperação da tripulação".

O voo QZ8501 da AirAsia partiu de Surabaia, na ilha de Java, na madrugada de 28 de dezembro de 2014, com 162 pessoas a bordo e tinha aterragem prevista em Singapura, uma hora mais tarde.

O avião voava a uma altura estável e dentro dos limites de peso e equilíbrio, quando o piloto solicitou autorização à torre de controlo para subir de 32.000 para 38.000 pés, de modo a evitar uma tempestade com que se tinha cruzado.

A torre de controlo deu autorização mas o avião virou à esquerda, subiu até aos 37.400 pés em 30 segundos e imediatamente desceu para os 32.000 novamente em 30 segundos, antes de começar a cair em direção ao mar.

Lusa

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.