sicnot

Perfil

Mundo

Fundamentalismo é "doença de todas as religiões", alerta Papa

O Papa Francisco disse, na segunda-feira, que o fundamentalismo é "uma doença de todas as religiões", incluindo da Igreja Católica Romana, ao regressar de viagens por três países africanos.

Reuters

"O fundamentalismo é sempre uma tragédia. Não é religioso, carece de Deus, é idólatra", disse o pontífice argentino, durante o voo de regresso da República Centro Africana.

O líder dos 1,2 mil milhões de católicos apelou a cristãos e muçulmanos, "irmãos e irmãs", para porem fim ao conflito que tem destruído o país.

Francisco foi recebido por milhares de pessoas quando visitou uma mesquita no bairro muçulmano PK5 na capital, Bangui, considerada a parte mais perigosa da sua visita ao país.

Durante de regresso a Roma, o papa disse que o Islão não é a única religião a sofrer com extremistas violentos, como os responsáveis pelos ataques de 13 de novembro em Paris, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico.

"Nós, católicos, temos alguns, até muitos, fundamentalistas. Acreditam que sabem a verdade absoluta e corrompem os outros. Posso dizer isto porque esta é a minha Igreja", afirmou.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras