sicnot

Perfil

Mundo

Fundamentalismo é "doença de todas as religiões", alerta Papa

O Papa Francisco disse, na segunda-feira, que o fundamentalismo é "uma doença de todas as religiões", incluindo da Igreja Católica Romana, ao regressar de viagens por três países africanos.

Reuters

"O fundamentalismo é sempre uma tragédia. Não é religioso, carece de Deus, é idólatra", disse o pontífice argentino, durante o voo de regresso da República Centro Africana.

O líder dos 1,2 mil milhões de católicos apelou a cristãos e muçulmanos, "irmãos e irmãs", para porem fim ao conflito que tem destruído o país.

Francisco foi recebido por milhares de pessoas quando visitou uma mesquita no bairro muçulmano PK5 na capital, Bangui, considerada a parte mais perigosa da sua visita ao país.

Durante de regresso a Roma, o papa disse que o Islão não é a única religião a sofrer com extremistas violentos, como os responsáveis pelos ataques de 13 de novembro em Paris, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico.

"Nós, católicos, temos alguns, até muitos, fundamentalistas. Acreditam que sabem a verdade absoluta e corrompem os outros. Posso dizer isto porque esta é a minha Igreja", afirmou.

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC