sicnot

Perfil

Mundo

Popularidade de François Hollande subiu 22% após os ataques

A popularidade do Presidente francês, François Hollande, aumentou 22% após os atentados de 13 de novembro em Paris, chegando a 50%, revela um inquérito hoje divulgado pelo organismo Ifop/Fiducial.

(arquivo)

(arquivo)

© Stephane Mahe / Reuters

Este é o melhor resultado para o Presidente socialista desde 2012, ano da sua eleição.

O índice de popularidade de Hollande, que tinha caído devido ao aumento do desemprego, já havia subido 21 pontos percentuais em janeiro, na sequência dos atentados às instalações da publicação satírica Charlie Hebdo.

"Pela segunda vez este ano, verificou-se um aumento acentuado na popularidade do Presidente", disse Frederic Dabi, director geral adjunto do Ifop.

Ainda segundo o inquérito, 62% dos franceses consideram que o presidente francês "representa bem os interesses da França no exterior" e 38% consideram que ele está "próximo das preocupações dos franceses", mas apenas 28% desejam que ele seja reeleito em 2017.

O resultado surge a cinco dias da primeira volta das eleições regionais, último teste eleitoral antes das presidenciais.

De acordo com a sondagem, o partido de extrema-direita Frente Nacional está numa posição de força para abordar as eleições e pode ganhar, pela primeira vez, pelo menos duas regiões.

O inquérito foi realizado por telefone na sexta-feira e no sábado passados, a uma amostra de 983 pessoas representativas da população francesa com idade igual ou superior a 18 anos.

Lusa

  • Prisão preventiva para homicida de Barcelos
    1:43

    País

    O alegado homicida de Barcelos vai ficar em prisão preventiva, por quatro crimes de homicídio. Adelino Briote foi ouvido este sábado de manhã no Tribunal de Braga, depois de na sexta-feira ter alegadamente degolado quatro pessoas na freguesia de Tamel, em Barcelos.

  • Homem suspeito de matar a mulher em Esmoriz

    País

    Um homem é suspeito de ter esfaqueado este sábado mortalmente a mulher em Esmoriz, concelho de Ovar, num contexto de violência doméstica, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.