sicnot

Perfil

Mundo

Popularidade de François Hollande subiu 22% após os ataques

A popularidade do Presidente francês, François Hollande, aumentou 22% após os atentados de 13 de novembro em Paris, chegando a 50%, revela um inquérito hoje divulgado pelo organismo Ifop/Fiducial.

(arquivo)

(arquivo)

© Stephane Mahe / Reuters

Este é o melhor resultado para o Presidente socialista desde 2012, ano da sua eleição.

O índice de popularidade de Hollande, que tinha caído devido ao aumento do desemprego, já havia subido 21 pontos percentuais em janeiro, na sequência dos atentados às instalações da publicação satírica Charlie Hebdo.

"Pela segunda vez este ano, verificou-se um aumento acentuado na popularidade do Presidente", disse Frederic Dabi, director geral adjunto do Ifop.

Ainda segundo o inquérito, 62% dos franceses consideram que o presidente francês "representa bem os interesses da França no exterior" e 38% consideram que ele está "próximo das preocupações dos franceses", mas apenas 28% desejam que ele seja reeleito em 2017.

O resultado surge a cinco dias da primeira volta das eleições regionais, último teste eleitoral antes das presidenciais.

De acordo com a sondagem, o partido de extrema-direita Frente Nacional está numa posição de força para abordar as eleições e pode ganhar, pela primeira vez, pelo menos duas regiões.

O inquérito foi realizado por telefone na sexta-feira e no sábado passados, a uma amostra de 983 pessoas representativas da população francesa com idade igual ou superior a 18 anos.

Lusa

  • Todos os distritos sob Aviso Amarelo devido ao frio

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Portugal continental sob Aviso Amarelo na quarta e na quinta-feira. Os termómetros vão estar abaixo de zero em todo o território, à exceção dos distritos de Lisboa, Porto e Faro.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.