sicnot

Perfil

Mundo

Astronauta britânico fará maratona de Londres a bordo de estação espacial

O astronauta britânico Tim Peake revelou hoje que irá participar na próxima maratona de Londres, mas que o fará a partir do espaço, a bordo da estação espacial internacional (ISS).

Tim Peake

Tim Peake

Reuters

"A partir do momento em que me confiaram a missão, pensei que seria genial correr a maratona de Londres a bordo da estação. É um acontecimento planetário, para lá das fronteiras do mundo", sublinhou o antigo piloto de testes de helicópteros, de 43 anos.

Tim Peake, que é o segundo astronauta britânico no espaço, a seguir a Helen Sharman (1991), deverá 'sair' a 15 de dezembro, a partir do Cazaquistão, a bordo da nave russa Soyouz e para uma missão de seis meses.

A corrida de Tim Peake acontecerá em simultâneo com os 37.000 participantes na prova terrena, com o astronauta a pretender cumprir os 42,195 quilómetros, num sistema em que estará 'aparelhado' e terá um ecrã da maratona junto a si.

"Vou poder ver-me a correr nas ruas de Londres, enquanto orbito à volta da terra, a uma velocidade de 27.000 quilómetros por hora", acrescentou o astronauta, que estará na missão espacial em representação da agência espacial europeia.

No currículo o astronauta conta, no entanto, com alguma experiência, depois de ter corrido em 1999 a maratona de Londres, com a marca de 3:18.50 horas: "não penso bater esse recorde a bordo. O sistema de arnês é uma contrariedade".

Em 2007, a norte-americana Sunita Lyn Williams correu o equivalente à maratona de Boston em 4:24 horas, também a bordo da estação espacial internacional (ISS).

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.