sicnot

Perfil

Mundo

Autores de tiroteio de San Bernardino não pertenciam a célula terrorista

O diretor do FBI, James Comey, assegurou esta sexta-feira "não existirem indicações" de que os presumíveis autores do tiroteio de quarta-feira em San Bernardino, na Califórnia, no qual morreram 14 pessoas, pertençam a uma célula terrorista mais ampla.

Catorze pessoas morreram e 21 outras ficaram feridas, a 2 de dezembro, no ataque ao Centro Regional Inland, na localidade de San Bernardino

Catorze pessoas morreram e 21 outras ficaram feridas, a 2 de dezembro, no ataque ao Centro Regional Inland, na localidade de San Bernardino

© Mike Blake / Reuters

"Até agora, não temos nenhum indício de que estes assassinos integrem um grupo organizado de maiores dimensões ou sejam parte de uma célula. Não há nenhuma indicação de que sejam parte de uma rede", declarou James Comey numa conferência de imprensa em Washington.

Não obstante, o responsável da polícia federal norte-americana, que falou aos jornalistas acompanhado da procuradora-geral dos Estados Unidos, Loretta Lynch, confirmou que há indícios de que estavam em processo de "radicalização", podendo os seus atos ter sido inspirados por grupos terroristas estrangeiros.

Horas antes, o diretor-assistente do FBI em Los Angeles, David Bowdich, informara que o tiroteio, que também causou 21 feridos, estava a ser investigado como "um ato de terrorismo".

Comey esclareceu ainda a hipótese de um dos suspeitos ter contactado pessoas investigadas pelo FBI, assegurando: "não houve contactos entre os assassinos e suspeitos que estão a ser investigados que justificassem que os colocássemos sob o nosso radar".

O responsável do FBI confirmou que, nos dias anteriores ao tiroteio, os presumíveis autores, Syed Farook e a sua esposa, Tashfeen Malik, apagaram informação dos seus dispositivos eletrónicos, pelo que consideram que o tiroteio foi premeditado e planeado.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.