sicnot

Perfil

Mundo

Mensagens de texto levam Bélgica a elevar o nível de alerta terrorista em novembro

Mensagens de texto estiveram na origem da decisão do Governo da Bélgica de elevar ao nível máximo (4) o alerta terrorista na região de Bruxelas, revelou hoje o jornal belga Dernière Heure. De acordo com o jornal, estas mensagens referiam um ataque iminente ao metro da capital belga, Bruxelas.

(arquivo)

(arquivo)

© Yves Herman / Reuters

Na madrugada de sexta-feira para sábado, 21 de novembro, o Governo federal belga decidiu elevar o nível de alerta por ameaça terrorista "séria e iminente".

Em poucas horas, o Centro de Crise da Bélgica recomendou às autoridades que cancelassem os jogos de futebol da primeira e segunda ligas, que suspendessem os grandes eventos públicos, encerrassem os comércios e museus, anulassem concertos e interrompessem as linhas de metro em Bruxelas, entre outras medidas.

De acordo com o jornal, na origem desta decisão esteve uma primeira mensagem de texto, enviada aos serviços da polícia, em que advertia sobre um atentado iminente no metro da capital.

Além disso, os serviços de inteligência belgas intercetaram no domingo, 22 de novembro, outra mensagem que dizia: "Vão-nos apanhar. Temos que fazer antes de amanhã". Um texto curto que alegadamente foi trocado entre dois suspeitos de terrorismo.

Isto aconteceu no dia em que o primeiro-ministro belga, Charles Michel, decretou o encerramento dos colégios e universidades em Bruxelas e decidiu manter fechadas as estações de metro.

Michel referiu, naquele dia, aos meios de comunicação a possibilidade de ocorrer um "atentado como o de Paris" do dia 13 de novembro, no qual morreram 130 pessoas e que deixou outra centena de feridos.

Lusa

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.