sicnot

Perfil

Mundo

Rússia acusa EUA de "encobrir" tráfico de petróleo do Daesh em direção à Turquia

O exército russo acusou hoje os Estados Unidos de "encobrirem" o tráfico de petróleo em direção à Turquia a partir das regiões controladas pelo grupo Estado Islâmico (EI) na Síria, após Washington ter considerado "insignificantes" as quantidades em causa.

© Sergei Karpukhin / Reuters

"Quando os responsáveis norte-americanos declaram não saber como o petróleo dos terroristas é transportado na Turquia em contrabando, não se trata de um artifício, antes do desejo em encobrir estes atos", considerou o ministério da Defesa russo na sua página no Facebook.

"Nos últimos tempos, as declarações do Pentágono e do Departamento de estado assemelham-se a um teatro do absurdo", acrescenta, aconselhando Washington a "consultar os vídeos filmados pelos seus drones, que são aliás três vezes mais numerosos que anteriormente na fronteira turco-síria e nas zonas petrolíferas".

Após a destruição de um bombardeiro russo em 24 de novembro pela aviação turca na fronteira síria, a Rússia acusa a Turquia de lucrar com o contrabando de petróleo proveniente dos 'jihadistas'. Através de fotos de satélites e vídeos de apoio, o exército russo apresentou na quarta-feira o que considera como provas deste tráfico e acusou pessoalmente de envolvimento o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan e a sua família.

Responsáveis norte-americanos reconheceram na sexta-feira que uma pequena parte deste petróleo atravessa a fronteira sírio-turca em camiões-cisternas, mas em proporções que não interessam ao mais alto nível do aparelho de Estado.

O contrabando de petróleo representa uma das principais fontes de financiamento da organização 'jihadista', que segundo diversas estimativas garante 1,5 milhões de dólares (1,3 milhões de euros) de rendimentos diários.

Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.