sicnot

Perfil

Mundo

"Isto é pela Síria" gritou homem antes de esfaquear três pessoas no metro de Londres

IMAGENS DO ATAQUE

"Isto é pela Síria" gritou homem antes de esfaquear três pessoas no metro de Londres

Testemunhas dizem que o homem gritou "Isto é pela Síria" antes de esfaquear uma das vítimas, no metro de Londres. Três pessoas ficaram feridas, uma está em estado grave.

O agressor foi detido pela polícia depois de ter sido imobilizado com uma arma taser.


O incidente aconteceu na estação de Leyton-stone, no zona este da capital. O comando antiterrorista britânico está a tratar este caso como sendo um incidente de natureza terrorista.


É um ataque acontece dois dias depois do Reino Unido ter bombardeado locais estratégicos na Síria. Os portugueses que saíram de Londres para ingressarem no Daesh eram desta zona de Londres.

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.