sicnot

Perfil

Mundo

Tempestade Desmond deixa 60 mil casas sem eletricidade no Reino Unido

A tempestade Desmond que se abateu no Reino Unido no sábado provocou inundações no noroeste do país onde 60.000 lares estão hoje sem eletricidade, tendo sido destacados vários soldados para ajudar nos serviços de socorro.

© Phil Noble / Reuters

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou através da rede social Twitter que realizou uma reunião de urgência "para garantir que tudo é feito" pelos sinistrados.

"O exército foi mobilizado para auxiliar os sinistrados da tempestade Desmond e das inundações", escreveu.

Quase 350 militares do segundo batalhão do regimento Duke de Lancaster, com sede em Preston (no noroeste do país), foram mobilizados para Carlisle, uma das cidades mais afetadas, para reforçar os serviços de socorro e de evacuação.

Os militares também trouxeram, a bordo de um helicóptero Chinook, equipamentos de bombeamento de água para as zonas mais afetadas, sendo que em algumas destas zonas choveu em 24 horas o equivalente a um mês de precipitação e, em alguns locais, a água atingiu a altura de um homem.

Quase 60.000 casas, sobretudo na região de Lancaster, estão privadas de eletricidade, segundo indicou a companhia elétrica Electricity North West, acrescentando que é possível que os cortes de energia durem "vários dias".

No sábado, um homem de 90 anos morreu perto da estação de metro no norte de Londres depois de ter sido projetado contra um autocarro que estava em circulação, segundo informou a polícia.

Uma avaliação provisória da Agência do Ambiente do Reino Unido indica que caíram mais 340 milímetros de precipitação na região de Luke District, o que constitui um novo recorde.

Os serviços meteorológicos anunciaram que são esperadas mais chuvas para esta semana naquela região e no sudoeste da Escócia, o que fez com que os jogos de futebol e de rugby agendados para aquelas zonas fossem adiados.

Lusa

  • Despenalização da eutanásia votada na terça-feira no Parlamento
    2:04
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28

    Economia

    Com o crescimento do turismo, que continua a bater recordes, as companhias aéreas querem profissionais para reforçar as rotas com maior procura e oferecer novos destinos. Só a TAP prevê contratar mais 700 pessoas este ano para várias funções, incluindo 300 tripulantes de cabina e 170 pilotos.

  • Trump remarca encontro com Kim Jong-un no Twitter
    2:33

    Mundo

    A Coreia do Sul e a Coreia do Norte reuniram-se pela segunda vez em menos de um mês. Os Presidentes dos dois países dizem que estão a cooperar para que a cimeira entre Washington e Pyongyang, em Singapura, seja um sucesso. Donald Trump regressou ao Twitter para remarcar a cimeira a 12 de junho.