sicnot

Perfil

Mundo

Bombardeamentos atribuídos à coligação liderada pelos EUA matam 26 civis

Ataques aéreos no nordeste da Síria, realizados provavelmente pela coligação militar internacional liderada pelos EUA, causaram a morte a pelo menos 26 civis, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

(arquivo)

(arquivo)

reuters

Sete crianças e quatro mulheres fazem parte deste conjunto de vítimas destes ataques, que visaram zonas próximas da vila de Al-Hol, recuperada por rebeldes árabes e curdos às forças do grupo autodenominado Estado Islâmico (EI), especificou o OSDH, que dispõe de uma vasta rede de fonte de informação na Síria.

"Os ataques visaram a localidade de Al-Khan" que continua a ser controlada por aquele grupo, declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane.

"Mas o Daesh (acrónimo árabe do grupo EI) só está presente na periferia. É por isso que as vítimas são civis", precisou.

O balanço pode agravar-se, estimou o dirigente do OSDH, porque há relatos de 17 pessoas desaparecidas sob os escombros.

A coligação liderada pelos EUA começou a bombardear as posições do grupo em Síria em setembro de 2014.

Lusa

  • "O bom senso obriga a acordo para a estabilização do sistema financeiro"
    2:06

    Economia

    O Presidente da República disse esta quarta-feira que "o bom senso obriga a que todos estejam de acordo para a estabilização do sistema financeiro". Num aparente recado a Passos Coelho, Marcelo apelou a um consenso de regime e avisou que "não há prazer tático que justifique o desgaste" provocado pelas divisões atuais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.