sicnot

Perfil

Mundo

Malala condena comentários "cheios de ódio" de Donald Trump

A jovem ativista paquistanesa Malala Yousafzai, prémio Nobel da Paz 2014, condenou os comentários "cheios de ódio" do pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump e pediu aos políticos "que pensem antes de falar".

(Arquivo)

(Arquivo)

© Andrew Yates / Reuters

"É verdadeiramente triste escutar estes comentários tão cheios de ódio. Os políticos e os meios de comunicação têm de ser muito, muito cuidadosos com tudo o que dizem", disse Malala num evento para recordar o primeiro aniversário do atentado talibã contra uma escola em Peshawar (Paquistão), no qual morreram 151 pessoas, incluindo 134 alunos.

A 7 de dezembro, Trump pediu a proibição da entrada nos Estados Unidos de todos os muçulmanos em resposta "ao ódio" que, segundo ele, parte dessa comunidade sente contra os norte-americanos.

Hoje, durante a cerimónia em Birmingham (norte de Inglaterra), Malala pediu a Trump e aos restantes políticos "que sejam cuidadosos com os seus comentários" e disse que "culpar todos os muçulmanos só vai radicalizar mais terroristas".

"Se queremos acabar com o terrorismo não podemos culpar todos os muçulmanos. A única coisa que isto vai fazer é radicalizar mais terroristas. Necessitamos de educação de qualidade para derrubar os preconceitos da mentalidade terrorista", afirmou a jovem de 18 anos em declarações citadas pela cadeia britânica BBC.

Malala, que sobreviveu a uma tentativa de assassinato dos talibãs no Paquistão em 2012 disse que "quanto mais se fala do Islão, contra os muçulmanos", mais terroristas se criam.

A jovem paquistanesa participou na cerimónia juntamente com Ahmad Nawaz, de 15 anos, e Muhammad Ibrahim, de 14 anos, dois sobreviventes do ataque de há um ano em Peshawar.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.