sicnot

Perfil

Mundo

Catástrofes e desastres custaram 78 mil milhões em 2015

O custo económico das catástrofes naturais e desastres baixou em 2015 para cerca de 85 mil milhões de dólares (78 mil milhões de euros), segundo uma primeira estimativa do grupo segurador suíço Swiss Re divulgada hoje.

O número é inferior à média dos últimos dez anos, que é de 192 mil milhões de dólares (177 mil milhões de euros), e inferior ao de 2014, que foi de 113 mil milhões de dólares (104 mil milhões de euros), informou o segundo maior grupo segurador mundial num comunicado.

A maioria dos custos de 2015 deveu-se a catástrofes naturais, que causaram perdas de 74 mil milhões de dólares (68 mil milhões de euros), e os restantes 11 mil milhões de dólares (10 mil milhões de euros) a desastres causados pelo homem, como os acidentes industriais, segundo a empresa.

Do total, cerca de 32 mil milhões de dólares (29,5 mil milhões de euros) foram cobertos por seguradoras.

O acidente com custos mais elevados foram as explosões de 12 de agosto no porto de Tianjin, no nordeste da China, que fizeram 161 mortos e mais de 2 mil milhões de dólares (1,8 mil milhões de euros) de prejuízos.

Entre as causas naturais, as tempestades de fevereiro nos Estados Unidos foram as mais caras, com perdas de 2,7 mil milhões de dólares (2,5 mil milhões de euros), cobertas pelas seguradoras em 2,1 mil milhões de dólares (1,9 mil milhões de euros).

O terremoto no Nepal, que matou 9.000 pessoas e destruiu 500.000 habitações, teve um custo económico de 6 mil milhões de dólares (5,5 mil milhões de euros), mas as seguradoras cobriram apenas 160 milhões de dólares (147 milhões de euros).

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.