sicnot

Perfil

Mundo

Refugiados e deslocados vão atingir número recorde em 2015

O ano de 2015 deverá saldar-se por um novo recorde de deslocados e refugiados no mundo, depois de em 2014 ter sido fixado em 59,5 milhões de pessoas, segundo um relatório do ACNUR publicado hoje.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Dimitris Michalakis / Reuters

"O ano de 2015 será, sem dúvida, o palco de uma alta sem precedentes em matéria de deslocamentos forçados no mundo", escrevem os especialistas do Alto Comissariado da Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), a propósito dos dados do primeiro semestre, que são a base do relatório publicado hoje.

Segundo os peritos, "como o número de refugiados, de requerentes de asilo e de pessoas deslocadas continuou a crescer em 2015, é provável que seja muito superior" aos 60 milhões de pessoas.

No decurso do primeiro semestre de 2015, foram contabilizadas pelo menos mais cinco milhões de pessoas consideradas deslocadas. Um total de 4,2 milhões estava deslocado no interior do seu país e 839.000 atravessaram a fronteira.

No primeiro semestre, a Europa foi confrontada com uma chegada sem precedentes de migrantes através do mar Mediterrâneo, sendo a maioria oriunda da Síria e de outros países afetados pela guerra.

Mas como um número considerável de migrantes chegou depois de junho, não foram tomados em consideração para este relatório do ACNUR.

O número de refugiados no mundo aumentou 45% desde 2011.

Os países da África subsariana acolhem a maioria dos refugiados (4,1 milhões), seguidos da Ásia e Pacífico (3,8 milhões), Europa (3,5 milhões), Médio Oriente e África do Norte (3 milhões).

Um total de 753 mil refugiados vive no continente americano.

O ACNUR calculou 3,9 milhões de apátridas no primeiro semestre.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.