sicnot

Perfil

Mundo

Refugiados e deslocados vão atingir número recorde em 2015

O ano de 2015 deverá saldar-se por um novo recorde de deslocados e refugiados no mundo, depois de em 2014 ter sido fixado em 59,5 milhões de pessoas, segundo um relatório do ACNUR publicado hoje.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Dimitris Michalakis / Reuters

"O ano de 2015 será, sem dúvida, o palco de uma alta sem precedentes em matéria de deslocamentos forçados no mundo", escrevem os especialistas do Alto Comissariado da Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), a propósito dos dados do primeiro semestre, que são a base do relatório publicado hoje.

Segundo os peritos, "como o número de refugiados, de requerentes de asilo e de pessoas deslocadas continuou a crescer em 2015, é provável que seja muito superior" aos 60 milhões de pessoas.

No decurso do primeiro semestre de 2015, foram contabilizadas pelo menos mais cinco milhões de pessoas consideradas deslocadas. Um total de 4,2 milhões estava deslocado no interior do seu país e 839.000 atravessaram a fronteira.

No primeiro semestre, a Europa foi confrontada com uma chegada sem precedentes de migrantes através do mar Mediterrâneo, sendo a maioria oriunda da Síria e de outros países afetados pela guerra.

Mas como um número considerável de migrantes chegou depois de junho, não foram tomados em consideração para este relatório do ACNUR.

O número de refugiados no mundo aumentou 45% desde 2011.

Os países da África subsariana acolhem a maioria dos refugiados (4,1 milhões), seguidos da Ásia e Pacífico (3,8 milhões), Europa (3,5 milhões), Médio Oriente e África do Norte (3 milhões).

Um total de 753 mil refugiados vive no continente americano.

O ACNUR calculou 3,9 milhões de apátridas no primeiro semestre.

Lusa

  • Assembleia-geral do Sporting marcada para 23 de junho
    2:57
  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC