sicnot

Perfil

Mundo

Governo francês diz ter abortado plano de atentado em Orleães

O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, anunciou hoje que as autoridades francesas abortaram a semana passada os planos de um atentado terrorista na região de Orleães, no centro do país.

© Jacky Naegelen / Reuters

Durante a operação, foram detidos dois franceses, com 20 e 24 anos, originários daquela mesma zona e que, segundo os órgãos de comunicação social locais, previam atacar um quartel, uma gendarmeria (força militar sobretudo encarregada de funções de polícia no âmbito da população civil) e uma instalação militar.

O presidente da câmara da cidade, Olivier Carré, sublinhou hoje ao canal televisivo BFM TV a necessidade de manter o plano antiterrorista Vigipirate no nível máximo, e apoiou o estado de emergência decretado pelo Executivo após os atentados 'jihadistas' de novembro e que permanece em vigor até 26 de fevereiro.

De acordo com a BFM TV, os primeiros elementos da investigação indicam que os detidos estavam em contacto com um homem na Síria, tinham reunido verba para cometer o atentado e apenas aguardavam por armas para passar à ação.

Segundo o ministro do Interior, 3.414 pessoas foram afastadas das fronteiras de França desde o restabelecimento dos controlos, na sequência dos ataques de 13 de novembro em Paris, "devido ao risco que representam para a segurança e a ordem pública".

Cazeneuve - que não deu detalhes sobre as 3.414 rejeições de entrada - recordou que, a 13 de novembro, quando ataques em vários locais de Paris mataram 130 pessoas, a França restabeleceu o controlo das fronteiras, como prevê o Código Schengen "em tais circunstâncias".

Para o governante, os resultados das medidas tomadas, incluindo o decretar do estado de emergência, "são importantes", sendo de assinalar que, até à data, "foram realizadas 2.898 pesquisas administrativas", daí resultando a interpelação de 346 pessoas, a colocação de 297 sob custódia policial e a prisão de 51 outras.

Lusa

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • "A Venezuela sofreu um Madurazo"
    0:32
  • "Leiam os meus lábios. Não!"
    0:12

    Mundo

    Vladimir Putin participou esta quinta-feira numa conferência, no Ártico. Questionado sobre se a Rússia tinha interferido nas últimas eleições dos Estados Unidos da América, o Presidente voltou a negar qualquer interferência, com uma frase que pensava pertencer a Ronald Reagan, mas que na verdade foi proferida por George Bush.

  • A provocação de Juncker a Trump
    0:40

    Mundo

    Jean-Claude Juncker lançou esta quinta-feira uma provocação a Donald Trump. No último dia do congresso do PPE, o presidente da Comissão Europeia disse que, se Trump incentivar outros países a sair da União Europeia, ele próprio vai apoiar a independência do Ohio e do Texas