sicnot

Perfil

Mundo

Governo ucraniano e separatistas pró-russos acordam tréguas no Natal e Ano Novo

O Governo ucraniano e os separatistas pró-russos chegaram a um acordo para o estabelecimento de um período de tréguas, que entra em vigor à meia-noite de hoje.

© Valentyn Ogirenko / Reuters

O acordo é visto por analistas como um sinal de que as partes estão prontas para silenciar as armas e negociar o estatuto formal do leste separatista e outros pontos de conflito.

Sublinha também o fracasso dos ocidentais em terminar com o conflito mais mortífero na Europa desde as guerras nos Balcãs, nos anos de 1990.

Os líderes pró-ocidentais de Kiev e os rebeldes estão a disputar o controlo de uma região com 3,5 milhões de pessoas, que é o centro da indústria de carvão e do aço ucraniana.

Um assessor do negociador de paz do Presidente ucraniano, Petro Poroshenko, informou que o acordo foi alcançado em Minsk, durante a última ronda de negociações periódicas.

"Chegámos a um acordo sobre um complete e incondicional cessar-fogo que vai começar às 00:00 horas da noite de 22 para 23 de dezembro", escreveu Darka Olifer, na sua página na rede social Facebook, acrescentando que "esta iniciativa é particularmente necessária para que os civis que ali vivem (no leste separatista) possam passar o Natal e o Ano Novo em paz".

O enviado especial da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), que está envolvido nas negociações para o fim da guerra que dura há 20 meses, afirmou que os dois lados concordaram em limitar os movimentos de tropas e veículos ao longo dos 500 quilómetros da frente.

Citado pela agência noticiosa russa RIA Novosti, este enviado, Martin Sajdik, disse: "Exprimimos as nossas expectativas e esperanças de que as pessoas do leste da Ucrânia possam gozar os seus dias de Natal e Ano Novo em paz e manter esta condição no futuro".

A Organização das Nações Unidas estima que mais de nove mil pessoas, civis na sua maioria, tenham morrido desde o início do confronto, em abril de 2014.

Os dirigentes ucranianos também afirmam que os 40 mil combatentes separatistas estão a ser apoiados por oito mil militares russos.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.