sicnot

Perfil

Mundo

Tunísia prolonga estado de emergência por dois meses

A presidência da Tunísia anunciou hoje o prolongamento por dois meses do estado de emergência, restabelecido em todo o país após o atentado suicida de 24 de novembro contra um autocarro da segurança presidencial que matou 12 pessoas.

(arquivo)

(arquivo)

© Anis Mili / Reuters

O chefe de Estado tunisino "Beji Caid Essebsi decidiu o prolongamento do estado de emergência em todo o território por dois meses" ou seja "até 21 de fevereiro de 2016", referiu um comunicado da presidência.

O prazo desta medida de exceção devia expirar na quarta-feira, 30 dias após a entrada em vigor.

Esta medida de exceção permite que as autoridades possam proibir greves e reuniões "passíveis de provocar ou manter a desordem" e encerrar de forma temporária "salas de espetáculos ou estabelecimentos de venda de bebidas", bem como "tomar todas as medidas para assegurar o controlo da imprensa e das publicações de qualquer tipo".

Após o ataque de 24 de novembro, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), o governo tunisino também decretou um recolher obrigatório na capital Tunes, medida que foi levantada há 10 dias.

As forças de segurança intensificaram as investigações e as detenções, após este novo atentado, perpetrado em plena capital tunisina.

Descrita como um modelo devido à sua transição democrática, a Tunísia enfrenta desde a revolução de 2011 - que derrubou a ditadura de Ben Ali e deu início à chamada "Primavera Árabe" -, uma ascensão do movimento 'jihadista', que já matou naquele país várias dezenas de polícias, militares e civis.

Segundo dados oficiais, a Tunísia é um dos países que tem mais cidadãos, cerca de 6.000, nas fileiras das organizações 'jihadistas' na Síria, Iraque e na Líbia.

Antes do ataque suicida contra a segurança presidencial tunisina, outros dois ataques foram reivindicados pelo grupo radical sunita em 2015 no território tunisino: no Museu Bardo em março (22 mortos) e num hotel de Sousse em finais de junho (38 mortos).

Dias depois do ataque contra a unidade hoteleira em Sousse, a Tunísia decretou o estado de emergência, medida que seria levantada em início de outubro.

Os tunisinos já tinham sido submetidos à medida durante um período de três anos, de 14 de janeiro de 2011, algumas horas antes da fuga do ditador Zine El Abidine Ben Ali, a março de 2014.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.