sicnot

Perfil

Mundo

Polícia austríaca alerta para possíveis ataques terroristas na Europa

A polícia austríaca anunciou ter aumentado as medidas de segurança em Viena, depois de ter recebido um aviso sobre possíveis ataques terroristas em várias capitais europeias nos próximos dias.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Leonhard Foeger / Reuters

Os avisos, feitos pelos serviços secretos de um país amigo da Áustria, contêm nomes concretos de possíveis terroristas, de acordo com um comunicado hoje divulgado pela polícia austríaca.

De acordo com os avisos, é possível que sucedam ataques com explosões e disparos em locais com grandes concentrações de pessoas em várias capitais europeias.

A polícia austríaca assinala no comunicado que a investigação aos nomes de possíveis terroristas ainda não produziu resultados.

"Trata-se de um indício que, devido à sua intensidade, indica que enfrentamos uma situação de perigo mais elevada" do que a vivida até agora, lê-se na nota.

A polícia assegura que os seus agentes foram sensibilizados para as possíveis ameaças.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.