sicnot

Perfil

Mundo

Mais de dois mil mortos em três meses de ataques russos na Síria

Os bombardeamentos aéreos da Rússia na Síria ao longo dos últimos três meses fizeram 2.371 mortos, perto de um terço dos quais civis, informou hoje a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Os ataques mataram 655 membros do grupo extremista Daesh e 924 membros de outros grupos que combatem o regime, incluindo a Frente al-Nosra, o ramo sírio da Al-Qaida, precisou.

O Observatório, que recolhe informações junto de uma rede de militantes e profissionais de saúde no terreno na Síria, contabilizou 792 vítimas civis, entre as quais 180 menores e 116 mulheres.

A Rússia, que lançou a campanha militar na Síria a 30 de setembro, afirma visar nos seus bombardeamentos os 'jihadistas' do Daesh e outros "grupos terroristas", mas os países ocidentais acusam-na de atacar rebeldes considerados moderados.

Na terça-feira, os Estados Unidos acusaram a Rússia de matar centenas de civis em ataques aéreos "cegos" e de atingir instalações de saúde, escolas e mercados, depois de, na semana passada, a Amnistia Internacional ter denunciado ataques do género e considerado que os bombardeamentos contra zonas de habitação podem constituir "crimes de guerra".

O Ministério da Defesa russo reagiu afirmando que as acusações são "falsas".

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.