sicnot

Perfil

Mundo

Mais de dois mil mortos em três meses de ataques russos na Síria

Os bombardeamentos aéreos da Rússia na Síria ao longo dos últimos três meses fizeram 2.371 mortos, perto de um terço dos quais civis, informou hoje a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Os ataques mataram 655 membros do grupo extremista Daesh e 924 membros de outros grupos que combatem o regime, incluindo a Frente al-Nosra, o ramo sírio da Al-Qaida, precisou.

O Observatório, que recolhe informações junto de uma rede de militantes e profissionais de saúde no terreno na Síria, contabilizou 792 vítimas civis, entre as quais 180 menores e 116 mulheres.

A Rússia, que lançou a campanha militar na Síria a 30 de setembro, afirma visar nos seus bombardeamentos os 'jihadistas' do Daesh e outros "grupos terroristas", mas os países ocidentais acusam-na de atacar rebeldes considerados moderados.

Na terça-feira, os Estados Unidos acusaram a Rússia de matar centenas de civis em ataques aéreos "cegos" e de atingir instalações de saúde, escolas e mercados, depois de, na semana passada, a Amnistia Internacional ter denunciado ataques do género e considerado que os bombardeamentos contra zonas de habitação podem constituir "crimes de guerra".

O Ministério da Defesa russo reagiu afirmando que as acusações são "falsas".

Lusa

  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06