sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 100 mil polícias em prontidão para Ano Novo em França

Mais de 100 mil polícias estão destacados para trabalhar na noite de Ano Novo em França, anunciou hoje o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, devido ao alerta de possíveis atentados terroristas, ainda que, referiu, não haja "uma ameaça concreta".

© Charles Platiau / Reuters

Em declarações à imprensa, citadas pela agência espanhola EFE, Cazeneuve reconheceu que a ameaça terrorista continua a ser "elevada" nas capitais europeias, pelo que a mobilização das forças de segurança em França será "excecional".

O dispositivo policial montado para esta noite será particularmente extenso na região de Paris, particularmente na zona dos Campos Elísios, epicentro das celebrações de Ano Novo, e onde estarão em patrulha 1.700 polícias e 'gendarmes'.

Na Bélgica seis pessoas foram detidas esta manhã, na sequência de novas operações policiais na zona de Bruxelas, anunciou a Procuradoria, que revelou também a manutenção da prisão preventiva dos homens que planeavam ataques a "locais emblemáticos" da cidade no Ano Novo.

Um homem, de 22 anos, foi detido na quarta-feira, em Bruxelas, numa operação no âmbito dos atentados de 13 de novembro, em Paris, divulgaram hoje as autoridades belgas.

O homem, acusado de terrorismo, foi detido na comuna de Molenbeek, onde se têm multiplicado detenções relacionadas com os ataques que mataram 130 pessoas no mês passado.

A operação ocorreu na mesma casa alvo de buscas três dias depois de 13 de novembro, as quais terão revelado indícios da presença de Salah Abdeslam, um dos principais suspeitos dos ataques de Paris e que continua a monte, segundo a cadeia televisiva e radiofónica RTBF.

Por seu lado, o jornal Het Laatste Nieuws indicou tratar-se de uma casa de um familiar próximo de Abdeslam e de onde terão partido cinco pessoas para a Síria.

O anúncio da 10.ª detenção neste processo acontece um dia depois do cancelamento do fogo-de-artifício e das celebrações do ano novo nas ruas do centro de Bruxelas, embora o nível de ameaça continue em três, numa escala de quatro.

Esta semana decorreram várias operações policiais, que resultaram em duas detenções por suspeita de planeamento de ataques na capital belga e uma outra relacionada com os atentados de Paris.

A Bélgica mantém o nível três de alerta, que inclui uma vigilância maior em ocasiões de concentração de pessoas, tendo o último Conselho de Ministros decidido prolongar a presença de militares nas ruas até 20 de janeiro.

Nas esquadras policiais o nível foi aumentado, até 04 de janeiro, por terem sido apontadas como possíveis alvos de ataques.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31