sicnot

Perfil

Mundo

Agressor de polícia de Filadélfia jurou fidelidade ao Daesh

O homem que tentou matar um agente numa viatura policial em Filadélfia, no leste dos Estados Unidos, tinha jurado fidelidade ao grupo extremista Daesh, anunciou hoje a polícia.

© Handout . / Reuters

O suspeito de 30 anos explicou "ter jurado fidelidade" ao Daesh e indicou ter atuado "em nome do Islão", disse a polícia em conferência de imprensa, acrescentando que o atacante disparou "pelo menos 11 vezes à queima-roupa". O polícia ficou gravemente ferido.

O ataque ocorreu pouco antes das 00:00 locais (05:00 em Lisboa). O suspeito, a pé, visou o veículo onde se encontrava Jesse Hartnett, de 33 anos, aproximando-se progressivamente do automóvel, ao mesmo tempo que disparava.

"Este homem tentou executar o agente", declarou o chefe da polícia de Filadélfia Richard Ross, numa conferência de imprensa esta madrugada.

"O polícia não sabia que ele se aproximava. É incrível que tenha sobrevivido", acrescentou. Ross afirmou que Jesse Hartnett ficou com o braço esquerdo partido, atingido por três balas.

A polícia mostrou imagens vídeo do ataque, ocorrido num cruzamento de Filadélfia. Nestas imagens é possível ver o suspeito a disparar enquanto se aproxima do veículo policial.

Aparentemente, o agente conseguiu sair do veículo e ripostou, ferindo o agressor. A arma usada no ataque foi roubada à polícia em 2013, de acordo com Ross.

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.