sicnot

Perfil

Mundo

Agressor de polícia de Filadélfia jurou fidelidade ao Daesh

O homem que tentou matar um agente numa viatura policial em Filadélfia, no leste dos Estados Unidos, tinha jurado fidelidade ao grupo extremista Daesh, anunciou hoje a polícia.

© Handout . / Reuters

O suspeito de 30 anos explicou "ter jurado fidelidade" ao Daesh e indicou ter atuado "em nome do Islão", disse a polícia em conferência de imprensa, acrescentando que o atacante disparou "pelo menos 11 vezes à queima-roupa". O polícia ficou gravemente ferido.

O ataque ocorreu pouco antes das 00:00 locais (05:00 em Lisboa). O suspeito, a pé, visou o veículo onde se encontrava Jesse Hartnett, de 33 anos, aproximando-se progressivamente do automóvel, ao mesmo tempo que disparava.

"Este homem tentou executar o agente", declarou o chefe da polícia de Filadélfia Richard Ross, numa conferência de imprensa esta madrugada.

"O polícia não sabia que ele se aproximava. É incrível que tenha sobrevivido", acrescentou. Ross afirmou que Jesse Hartnett ficou com o braço esquerdo partido, atingido por três balas.

A polícia mostrou imagens vídeo do ataque, ocorrido num cruzamento de Filadélfia. Nestas imagens é possível ver o suspeito a disparar enquanto se aproxima do veículo policial.

Aparentemente, o agente conseguiu sair do veículo e ripostou, ferindo o agressor. A arma usada no ataque foi roubada à polícia em 2013, de acordo com Ross.

Lusa

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.