sicnot

Perfil

Mundo

Ajuda alimentar e medicamentosa em cidades sírias cercadas só depois de domingo

A entrega de ajuda alimentar por via aérea a três cidades sírias cercadas vai representar "uma imensa e complicada tarefa", que não deve começar antes de domingo, disse hoje um porta-voz da Cruz Vermelha.

(arquivo)

(arquivo)

AP Images

Pawel Krzysiek, porta-voz do Comité Internacional da Cruz Vermelha, disse à AFP que a assistência alimentar e médica vai ser entregue a Madaya, nos arredores de Damasco, Fuaa e Kafraya, ambas no noroeste.

Madaya, que tem uma população de 42 mil pessoas e estado em destaque nos últimos dias devido a casos de morte por fome, está cercada por militares governamentais.

Fuaa e Kafraya estão cercadas por grupos rebeldes.

As cidades integram um acordo de tréguas, intermediado pela Organização das Nações Unidas, que vai permitir a entrada de ajuda humanitária.

"Esta é uma imensa e complicada operação, porque tem de ser sincronizada entre Madaya, Kafraya e Fuaa e requer lidar com muitas partes", disse Krzysiek, acrescentando: "Não penso que comece antes de domingo".

Segundo os Médicos Sem Fronteiras, pelo menos 23 pessoas morreram devido a fome nos centros geridos por esta organização não-governamental desde 01 de dezembro.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.