sicnot

Perfil

Mundo

Ajuda alimentar e medicamentosa em cidades sírias cercadas só depois de domingo

A entrega de ajuda alimentar por via aérea a três cidades sírias cercadas vai representar "uma imensa e complicada tarefa", que não deve começar antes de domingo, disse hoje um porta-voz da Cruz Vermelha.

(arquivo)

(arquivo)

AP Images

Pawel Krzysiek, porta-voz do Comité Internacional da Cruz Vermelha, disse à AFP que a assistência alimentar e médica vai ser entregue a Madaya, nos arredores de Damasco, Fuaa e Kafraya, ambas no noroeste.

Madaya, que tem uma população de 42 mil pessoas e estado em destaque nos últimos dias devido a casos de morte por fome, está cercada por militares governamentais.

Fuaa e Kafraya estão cercadas por grupos rebeldes.

As cidades integram um acordo de tréguas, intermediado pela Organização das Nações Unidas, que vai permitir a entrada de ajuda humanitária.

"Esta é uma imensa e complicada operação, porque tem de ser sincronizada entre Madaya, Kafraya e Fuaa e requer lidar com muitas partes", disse Krzysiek, acrescentando: "Não penso que comece antes de domingo".

Segundo os Médicos Sem Fronteiras, pelo menos 23 pessoas morreram devido a fome nos centros geridos por esta organização não-governamental desde 01 de dezembro.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC