sicnot

Perfil

Mundo

Separatistas catalães chegam a acordo para novo Governo e saída de Artur Mas

Os separatistas catalães chegaram este sábado a acordo para a formação de um governo regional e assim evitar novas eleições, o que implica a demissão de Artur Mas, noticia a agência AFP, citando uma fonte do governo regional.

"Estou muito tranquilo e tenho o desejo de me bater, de seguir em frente", declarou o presidente cessante da Catalunha.

"Estou muito tranquilo e tenho o desejo de me bater, de seguir em frente", declarou o presidente cessante da Catalunha.

© Albert Gea / Reuters

"Juntos pelo Sim e CUP chegaram a um acordo para formar um governo e assim evitar eleições", disse a fonte do governo regional à AFP, acrescentando que o conservador e independente Artur Mas iria falar sobre este tema ainda hoje, numa conferência de imprensa onde deverá anunciar a sua demissão.

O autarca de Girona, Carles Puigdemont, substitui Mas no cargo.

Na semana passada, o presidente cessante da Catalunha tinha assegurado que ia prosseguir o combate político após a recusa de um partido do campo independentista em legitimar a sua investidura, e que deverá implicar novas eleições.

"Estou muito tranquilo e tenho o desejo de me bater, de seguir em frente", declarou o presidente cessante da Catalunha, uma região de 7,5 milhões de habitantes situada no nordeste de Espanha, no dia seguinte à decisão da Candidatura de Unidade Popular (CUP, extrema-esquerda independentista) que optou por não apoiar a sua investidura.

O "Junts pel Sí" (Juntos pelo sim), a lista independentista de Artur Mas, venceu as eleições de 27 de setembro, garantindo 65 dos 135 lugares no parlamento regional. No entanto, permanecia dependente dos votos de pelo menos dois deputados da CUP, e da abstenção dos restantes oito eleitos por esta formação, para garantir a maioria suficiente que lhe permitisse ser investido.

Após três meses de debate interno, a direção da CUP, respeitando a decisão da maioria dos seus militantes, anunciou no domingo que não apoiará Artur Mas, acusado de ter aplicado medidas de austeridade e de envolvimento do seu partido Convergência Democrática da Catalunha (CDC, liberal), em práticas de corrupção.

Ao reenviar a decisão para o campo dos "Juntos pel Sí", a CUP disse estar disposta a investir um outro candidato proposto pela coligação independentista de centro-direita, uma sugestão rejeitada pelo partido de Mas. No entanto, a CDC já assegurou que não apresentará candidato alternativo, num novo sinal sobre a inevitabilidade de um escrutínio antecipado.

"O nosso candidato é o presidente Mas. Estamos seguros que é viável, é preciso seguir em frente", retorquiu Josep Rull, um eleito da CDC, sem especificar se vão prosseguir os esforços para garantir os dois deputados que faltam ao seu campo para tentar uma investidura.

A CUP denunciou sinais de divisão, com alguns dos seus dirigentes a apoiarem a investidura de Artur Mas. Um dos seus deputados, Antonio Banos, favorável à designação, anunciou hoje a sua demissão e abandonou o parlamento.

A Esquerda Republicana da Catalunha, (ERC, esquerda independentista), outro partido que integra a coligação "Juntos pel Sí", apelou por sua vez ao prosseguimento das negociações.

"Estamos seguros de que é possível um acordo", disse o seu dirigente Oriol Junqueras, sem se pronunciar sobre a manutenção de Mas como candidato.

Lusa

  • Rajoy insiste no acordo entre PSOE e Ciudadanos
    1:10

    Mundo

    O primeiro-ministro de Espanha insiste num acordo de governo com o PSOE e o Ciudadanos, para mostrar que existe estabilidade política no país. Sobre as eleições na Catalunha, Mariano Rajoy preferia que Artur Mas pusesse fim à luta pela independência da região, mas na impossibilidade de isso acontecer, defende a realização de novas eleições.

  • CDS quer que Governo revele detalhes do negócio do Novo Banco
    0:46

    Economia

    O CDS considera fundamental que o Governo revele os detalhes do negócio do Novo Banco para que pare com a especulação. Os centristas guardam uma posição política para depois de serem conhecidos os pormenores e lembram, mais uma vez, que o Executivo tem uma maioria parlamentar de Esquerda que o apoia.

  • ASAE faz doação de roupa apreendida
    1:15

    País

    A ASAE doou cerca de 200 peças de vestuário à Associação CAIS, apreendidas em ações de fiscalização. O valor destas peças é de quase 10 mil euros. Em 2016, a ASAE fez 100 ações de doação, um total de aproximadamente 14 mil peças.

  • PSD tem dúvidas sobre legalidade da taxa de proteção civil de Lisboa
    0:33

    País

    O PSD disse esta quarta-feira que a taxa de proteção civil da Câmara de Lisboa é um imposto e tem dúvidas sobre a legalidade. Numa reação ao envio deste diploma para o Tribunal Constitucional pelo Provedor de Justiça, os sociais-democratas deixaram ainda a promessa de acabar com a taxa, caso vençam as eleições na capital.

  • Conheça o Spa para recém-nascidos
    1:28

    Mundo

    Chama-se Baby Spa Perth e fica na Austrália. Nos últimos dias, o mundo ficou a conhecer este spa graças às fotografias dos bebés com as boias, que se tornaram virais nas redes sociais. O spa tem hidroterapia personalizada e massagens relaxantes. A boia, Bubby, permite que os bebés possam flutuar na água, sozinhos e em segurança.

    Patrícia Almeida

  • A rã que brilha no escuro
    2:08

    Mundo

    É a última descoberta do reino animal. Foi encontrada acidentalmente na Argentina uma nova espécie de rã, fluorescente.