sicnot

Perfil

Mundo

Líder da Coreia do Norte diz que teste nuclear é medida de "autodefesa"

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, falou publicamente pela primeira vez do teste nuclear levado a cabo pelo regime de Pyongyang na passada quarta-feira, qualificando-o como um ato de "autodefesa", noticia hoje a agência oficial KCNA.

Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte

Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte

© KCNA KCNA / Reuters


Durante uma visita realizada a propósito por Ano Novo à agência que coordena e administra o Exército Popular, Kim Jong-un defendeu que o ensaio nuclear é "uma medida justa que ninguém deve criticar", segundo o texto publicado pela KCNA.

"É uma medida de autodefesa para proteger de forma fiável a paz na península coreana e a segurança regional do perigo de uma guerra nuclear provocada pelo grupo de imperialistas que os Estados Unidos lidera", disse, durante a visita, cuja data exata não foi adiantada.

Na quarta-feira, Pyongyang anunciou ter realizado o seu quarto teste nuclear e que, pela primeira vez, tinha detonado uma bomba de hidrogénio.

Este artefacto seria mais poderoso do que os detonados pela Coreia do Norte nos testes anteriores (2006, 2009 e 2013), apesar de haver especialistas que duvidam que o regime tenha conseguido desenvolver uma bomba H com base no alcance que a explosão ocorrida teve, considerando que provavelmente se tratou na realidade de uma arma de fissão potenciada.

O anúncio de Pyongyang agudizou a tensão regional e desencadeou a condenação de grande parte da comunidade internacional, estando o Conselho de Segurança da ONU a debater eventuais novas sanções contra o regime norte-coreano.

Kim sublinhou ainda, no seu discurso, de acordo com a agência noticiosa estatal, que o ensaio atómico foi realizado "no arranque do ano em que celebrar-se-á o sétimo congresso do Partido dos Trabalhadores da Coreia".

A Coreia do Norte convocou para maio o primeiro congresso do partido único em 36 anos, um evento que pode vir a marcar o futuro político do hermético regime de Kim Jong-un.

Lusa

  • Descobertos fósseis que podem provar existência de vida em Marte

    Mundo

    Fósseis com 3,77 mil milhões de anos, dos mais antigos já descobertos, foram identificados por cientistas de vários países na província do Quebec, no leste do Canadá. As descobertas coincidem no tempo com a altura em que Marte e a Terra tinham água líquida à superfície, o que levanta questões sobre a hipótese de vida extraterrestre.

  • As polémicas declarações de João Braga sobre os Óscares

    País

    A Associação SOS Racismo reagiu esta quarta-feira às palavras do fadista João Braga na sua página no Facebook, sobre a cerimónia de entrega dos Óscares, e disse esperar que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial atue de forma exemplar face.

  • "Apelamos ao debate e somos criticados? Então m...."
    0:52
  • Oprah admite candidatar-se à Presidência dos EUA

    Mundo

    A apresentadora norte-americana Oprah Winfrey admitiu, numa entrevista, que a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro a fez considerar a possibilidade de entrar na corrida à Casa Branca.

  • Temperaturas recorde no "último lugar da Terra"

    Mundo

    A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou esta quarta-feira que se registaram nos últimos 37 anos temperaturas altas recorde na Antártida, num local que foi descrito como "o último lugar da Terra".