sicnot

Perfil

Mundo

Associados de suicida do Bataclan condenados à revelia em França

A justiça francesa condenou hoje a cinco e três anos de prisão dois indivíduos ligados a Samy Amimour, um dos três terroristas suicidas que se fez explodir na sala de espetáculos parisiense Bataclan, em 13 de novembro.

© Gonzalo Fuentes / Reuters

Os dois foram julgados à revelia e, segundo o diário Le Parisien, nem sequer estiveram representados pelos seus advogados, que afirmaram não ter notícias dos seus clientes desde há mais de dois anos.

Um dos julgados, Charaffe al Mouadan, condenado a cinco anos por "associação de malfeitores com o objetivo de preparar atos terroristas", morreu na Síria em 24 de dezembro durante um bombardeamento da coligação liderada pelos EUA.

O outro, Samir Bouabout, que recebeu uma pena de três anos pela mesma acusação, julga-se que está em outro país.

Al Mouadan, Bouabout e Amimour foram detidos em outubro de 2012, sob suspeita de quererem sair de França para irem combater nas fileiras extremistas, mas foram colocados em liberdade sob controlo judicial e um ano depois partiram para a Síria.

Lusa

  • Cristas acusa Costa de mentir sobre acordo da concertação social
    3:01

    Economia

    A presidente do CDS acusou esta terça-feira o primeiro-ministro de mentir no debate quinzenal, ao dizer que o acordo da concertação social já estava assinado. Foi o momento mais aceso, com Assunção Cristas a dizer que António Costa não tem condições para chefiar o Governo.

  • Trump prestará juramento com a duas bíblias

    Mundo

    Donald Trump prestará juramento, na próxima sexta-feira, como o 45.º Presidente dos Estados Unidos, usando duas Bíblias - a sua, oferecida pela sua mãe, e a que Abraham Lincoln usou na sua posse, há 150 anos.

  • Esta foto pode salvar a sua vida

    Mundo

    Podemos até estar familiarizados com os sinais do cancro da mama, mas quando se trata de identificar sintomas visuais nos nossos próprios seios, já não é tão fácil. Por isto, uma designer resolveu mostrar como descobrir sinais através de uma ajuda improvável: limões.

    Rita Ferro Alvim