sicnot

Perfil

Mundo

Ministra francesa afirma que medicamento usado em ensaio clínico não contém cannabis

A ministra francesa da Saúde afirmou hoje que o medicamento usado num ensaio clínico em França que deixou uma pessoa em coma e outras cinco em estado grave não contém qualquer derivado de cannabis, contrariando informações anteriores.

Reuters/Arquivo)

Reuters/Arquivo)

© Shannon Stapleton / Reuters

"Não continha cannabis nem qualquer derivado de cannabis", afirmou Marisol Touraine em conferência de imprensa para responder a questões sobre o sucedido nos testes conduzidos por um laboratório privado para a empresa farmacêutica portuguesa Bial, que já indicou que vai emitir um comunicado sobre o assunto.

Antes, uma fonte próxima do laboratório tinha dito à agência France Presse que o produto testado é uma molécula com efeitos analgésicos contendo um canabinóide.

Segundo a ministra, no laboratório da empresa Biotrial, em Rennes, oeste de França, o medicamento analgésico foi ministrado a 90 pessoas que participaram voluntariamente nos ensaios clínicos e que começaram a manifestar sintomas no domingo passado.

O diretor do departamento de neurologia do hospital de Rennes, onde os doentes afetados foram internados, Pierre-Gilles Edan, afirmou que das seis pessoas afetadas, uma está em morte cerebral e outras três sofreram "lesões que poderão ser irreversíveis".

Edan adiantou que têm entre 28 e 49 anos de idade e que a primeira vítima a chegar ao serviço, e que se encontra em coma, apresentava sintomas de acidente vascular cerebral.

Marisol Touraine indicou que se trata de um acidente inédito em França, cujas causas ainda são desconhecidas, e que todas as pessoas afetadas pertenciam ao mesmo grupo, a quem o medicamento foi ministrado de forma repetida.

A ministra garantiu que os ensaios clínicos foram interrompidos e ordenou uma inspeção administrativa à "organização, meios e condições de intervenção" do laboratório na realização do ensaio clínico em causa.

O departamento de saúde da Procuradoria de Paris abriu um inquérito ao sucedido e a agência francesa para o medicamento vai fazer uma inspeção técnica ao laboratório.

Numa mensagem divulgada na rede social Twitter, a Biotrial afirmou que o ensaio decorreu "de acordo com todas as regras internacionais" e que providenciou a transferência imediata para o hospital das pessoas que começaram a manifestar sintomas no domingo passado.

O acidente ocorreu na primeira fase do ensaio clínico, quando o medicamento é dado a pessoas saudáveis, conscientes dos riscos.

Antes de ser utilizado em seres humanos, o medicamento, que se destinava a tratar perturbações de humor e ansiedade, foi testado em chimpanzés.

Milhares de pessoas participam todos os anos em ensaios clínicos em França, muitos estudantes que procuram ganhar dinheiro para pagar os seus estudos.

Embora raros, os acidentes com este tipo de ensaios já aconteceram em outros países, como no Reino Unido, onde em 2006 seis homens foram internados nos cuidados intensivos depois de serem sujeitos a um novo tratamento contra a leucemia e outras doenças.

Em 2001, uma jovem norte-americana de 24 anos morreu quando participava num ensaio clínico de um medicamento experimental para a asma conduzido pela universidade Johns Hopkins.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC