sicnot

Perfil

Mundo

Agência Internacional diz que Irão cumpriu todos os passos para inciar acordo nuclear

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) confirmou hoje que o Irão cumpriu as exigências para pôr em marcha o histórico acordo nuclear assinado em julho passado em Viena e para levantar as sanções internacionais ao país.

Reuters

O tratado nuclear multilateral de Viena prevê limitar vários aspetos do programa nuclear iraniano durante períodos de entre 10 e 25 anos, a troca de levantar as sanções internacionais.

"Assinei hoje um relatório confirmando que o Irão completou todos os passos preparatórios necessários para implementar o Plano Conjunto de Ação [acordo nuclear multilateral]. O despacho foi enviado aos governadores da AIEA e ao Conselho de Segurança das Nações Unidas", disse o diretor-geral da AIEA, Yukuiya Amano, em comunicado.

O despacho da agência nuclear da ONU "foi emitido depois de os inspetores da agência terem verificado no terreno que o Irão levou a cabo todas as medidas requeridas para tornar possíveis o dia da implementação do acordo" destacou.

"As relações entre o Irão e a AIEA entram numa nova fase. É um dia importante para a comunidade internacional. Felicito todos os que ajudaram a tornar este dia realidade", assinalou Yukuiya Amano.

Assim, o Irão vai começar a aplicar provisoriamente um protocolo adicional, para que os inspetores da agência nuclear da ONU possam realizar visitas e inspeções sem aviso prévio do país.

"Isto aumenta as capacidades da agência para supervisionar as atividades nucleares do Irão e verificar que são pacíficas", concluiu Amano.

Hoje de manhã, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, disse que as sanções relacionadas com a questão nuclear no seu país poderiam ser levantadas durante o dia de hoje.

"Também é um bom dia para a região", disse Zarif aos jornalistas ao chegar à capital da Áustria, de acordo com a agência de notícias Irna.

Mohammad Javad Zarif encontrava-se em Viena para participar numa cerimónia para o anúncio da implementação do acordo nuclear assinado em julho de 2015 entre Teerão e as grandes potências ocidentais, destinado a finalizar mais de treze anos de litígio.

Esse texto deve garantir que o Irão não pode possuir bombas atómicas, em troca de um levantamento progressivo e controlado das sanções internacionais que foram adotadas a partir de 2006.

Hoje, os Estados Unidos e o Irão concretizaram uma troca de prisioneiros sem precedentes, com Teerão a libertar quatro americano-iranianos e Washington a conceder clemência a sete iranianos, seis com dupla nacionalidade.

Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.