sicnot

Perfil

Mundo

Clinton e Sanders em conflito sobre armas, saúde e relações com o Irão

Os pré-candidatos democratas às presidenciais dos Estados Unidos Bernie Sanders e Hillary Clinton entraram hoje em conflito em torno de planos de saúde, venda de armas e relações com o Irão, no último debate antes das primeiras votações.

© Randall Hill / Reuters

Sanders e Clinton, juntamente com o terceiro candidato Martin O'Malley, debateram em Charleston, Carolina do Sul, pela última vez antes das votações em Iowa, daqui a duas semanas.

Sanders, que se tem aproximado de Clinton nas sondagens, revelou, duas horas antes do início do debate, a sua proposta de plano de saúde, "Medicare for All", que garantiu poder poupar às famílias norte-americanas de classe média milhares de dólares por ano.

No entanto, este plano implicaria uma subida de impostos para todos os norte-americanos.

Sanders, um senador independente que se descreve como um democrata socialista, garantiu que o seu plano pouparia seis biliões em dez anos, quando comparado com o atual sistema.

Clinton já tinha criticado Sanders por tentar vender um sistema de pagamento único nacional administrado pelo governo federal que seria demasiado caro, e no debate de domingo reforçou esta crítica afirmando que o plano de Sanders iria destruir o de Barack Obama, que permitiu que mais 19 milhões de pessoas ficassem protegidas por um seguro de saúde.

Mudando para o tema do controlo de armas, Clinton acusou Sanders de ter uma posição demasiado permissiva.

"Votou numerosas vezes juntamente com a NRA (National Rifle Association), com o lóbi das armas", disse, chamando a atenção para os muitos votos de Sanders contra legislação que obrigasse a uma maior verificação dos antecedentes dos compradores de armas.

Sanders defendeu-se afirmando que em Vermont teve uma posição "firme contra o lóbi das armas" e que se opõe à venda "de armas de estilo militar".

"Sou a favor da verificação automática de antecedentes", disse.

No entanto, voltou a defender os motivos que o levaram a opor-se, no passado, à retirada da imunidade aos vendedores e fabricantes de armas: "Se alguém tem uma pequena loja de armas e estas caiem nas mãos erradas, devemos culpá-lo? Devemos rever a questão", disse.

Os pré-candidatos democratas entraram também em conflito sobre a velocidade a que deve decorrer a normalização das relações com o Irão, após o levantamento das sanções anunciado este fim de semana.

Clinton, que celebrou o acordo nuclear como parte do seu legado como secretária de Estado (2009-2013), defendeu que não se acelere o processo e se vigie o Irão com muito cuidado, enquanto Sanders pediu uma normalização das relações com rapidez.

"Devemos normalizar o mais rapidamente possível as relações com o Irão, tendo em conta a sua inaceitável retórica anti-Estados Unidos e o seu financiamento ao terrorismo", disse o senador.

"Quero que a relação seja o mais positiva possível, não digo que tenhamos de abrir uma embaixada amanhã, mas o trabalho deve ser semelhante ao que se fez em Cuba", explicou.

Já Clinton defendeu uma postura cautelosa: "Temos de os vigiar com muito cuidado. Tivemos um dia bom, precisamos de mais dias bons até que possamos avançar com mais rapidez para a normalização", defendeu a antiga primeira-dama.

Lusa

  • Quem deve ser o próximo treinador do FC Porto?

    Desporto

    Nuno Espírito Santo já não é treinador do FC Porto. O técnico e o clube chegaram a acordo mútuo para a rescisão do contrato, que o ligava por mais uma temporada aos dragões. Nuno Pinto da Costa tem agora que encontrar um novo treinador para orientar dos "dragões". Os nomes em cima da mesa são vários. Diga-nos quem deve ser o novo treinador do FC Porto.

  • Os treinadores do FC Porto desde o último título 

    Desporto

    Nunca o FC Porto esteve quatro anos consecutivos sem ganhar um título durante a presidência de Nuno Pinto da Costa. A ausência de vitórias teve início na época de 2013/14, quando começou uma autêntica dança de treinadores.

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Divulgado vídeo dos bambardeamentos contra o Daesh no Iraque
    0:42
  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.