sicnot

Perfil

Mundo

Portugal contribui com 100 mil € para fundo da UE de resposta à crise síria

Portugal decidiu contribuir com 100 mil euros para o Fundo Fiduciário Regional da União Europeia criado em resposta à crise síria, indicou hoje em Bruxelas a secretária de Estado dos Assuntos Europeus.

Reuters

Reuters

© Ammar Abdullah / Reuters

Em declarações no final de uma reunião dos chefes de diplomacia dos 28, que teve como principal ponto em agenda o conflito na Síria, Margarida Marques apontou que teve oportunidade de dar conta aos seus parceiros de uma "decisão muito recente" do Governo, de contribuir com o montante de 100 mil euros para o chamado "Fundo Madad".

"É uma decisão muito recente que, aliás, lembrámos (hoje), porque alguns países ainda não decidiram, estão em vias de tomar uma decisão, e nós já tomámos uma decisão: participámos com um montante de 100 mil euros", para um fundo que visa dar assistência designadamente no campo da ajuda humanitária na região, disse.

Relativamente à discussão sobre a Síria no Conselho de Negócios Estrangeiros de hoje, a secretária de Estado - que substituiu o ministro Augusto Santos Silva - indicou que "Portugal reafirmou a importância de seguir uma tripla abordagem no conflito".

"Em primeiro lugar, combater o Daesh (acrónimo árabe que designa o grupo extremista Estado Islâmico); em segundo lugar, prosseguir com um processo político tão inclusivo quanto possível; e em terceiro lugar, acudir à tragédia humanitária. E, sobretudo, devem ser tomadas medidas urgentemente no sentido de gerar uma situação de confiança entre as partes, pois estamos consciente de que não existe alternativa a uma solução política inclusiva para a crise da Síria", declarou.

Margarida Marques disse que além de referir a contribuição do Governo português para o fundo da UE de resposta à crise síria, lembrou também "o trabalho que tem sido feito em Portugal, designadamente pelo ex-alto representante da Aliança para as Civilizações, Jorge Sampaio, que criou a plataforma dos estudantes sírios, que tem desenvolvido um trabalho de receção de estudantes sírios e de aceitação desses estudantes por parte das universidades portuguesas".

No contexto deste Conselho dominado pela Síria, teve também lugar um almoço de trabalho com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Jordânia, "precisamente para discutir o papel que a Jordânia tem realizado e as formas de apoio" que a UE pode prestar "para que a Jordânia possa continuar a receber um número significativo de refugiados" e para que aqueles que já lá se encontram "possam ter condições de vida razoáveis", completou a secretária de Estado.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.