sicnot

Perfil

Mundo

Assassínio de ex-espião do KGB foi "ação autorizada pelo Estado"

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse hoje que o ex-espião do KGB Alexander Litvinenko foi assassinado numa "ação autorizada pelo Estado", depois da divulgação de um inquérito britânico sobre a morte do ex-agente russo.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Ruben Sprich / Reuters

"O que aconteceu foi absolutamente chocante e este relatório confirma aquilo em que sempre acreditámos, e aquilo em que o último governo trabalhista acreditava na altura do terrível assassínio, que foi uma ação autorizada pelo Estado", disse Cameron, em declarações às televisões britânicas a partir de Davos (Suíça), onde decorre o Fórum Económico Mundial de Davos.

"É por isso que o anterior governo decidiu expulsar diplomatas russos, emitir mandatos de captura e rejeitou cooperar com os serviços de informações russos, medidas que ainda se mantêm", prosseguiu o chefe do governo britânico.

A partir de Davos, Cameron acrescentou que o atual governo britânico decidiu reforçar estas medidas, nomeadamente através do congelamento de bens, e solicitar às autoridades judiciárias uma avaliação das possíveis repercussões deste inquérito.

As conclusões de um inquérito oficial à morte de Alexandre Litvinenko, hoje divulgadas por um juiz britânico, referem que o Presidente russo, Vladimir Putin, "provavelmente aprovou" o assassínio em Londres do ex-espião do KGB, perpetrado por dois agentes russos.

Alexandre Litvinenko, de 43 anos, morreu envenenado por polónio no final de novembro de 2006, três semanas depois de um encontro no Millennium Hotel, no centro de Londres, com dois ex-agentes russos, Andrei Lugovoi - atualmente deputado de um partido nacionalista - e Dmitri Kovtun, empresário.

"A operação do Serviço Federal de Segurança da Federação Russa - FSB (ex-KGB) foi provavelmente aprovada por Patruchov (Nikolai Patruchov, ex-chefe do FSB) e também pelo Presidente Putin", disse o juiz Robert Owen.

"Tenho a certeza que Lugovoi e Kovtun colocaram o polónio 210 no bule (de chá) a 01 de novembro de 2006. Tenho a certeza de que fizeram isto com a intenção de envenenar Litvinenko", indicou o magistrado.

A ministra do Interior britânica, Theresa May, anunciou hoje o congelamento de bens dos alegados autores do assassínio do ex-espião do KGB.

Lugovoi e Kovtun rejeitam qualquer implicação na morte de Litvinenko, denunciando as acusações "absurdas" e as provas "fabricadas" pela justiça britânica.

Em reação ao documento, a Presidência russa afirmou hoje que o inquérito britânico sobre a morte do ex-espião do KGB parece ser uma "piada", salientando a falta de provas concretas no processo.

"Talvez seja uma piada", disse o porta-voz do Kremlin (sede da Presidência russa), Dmitri Peskov, em declarações aos jornalistas.

"O mais provável é que possa ser atribuído ao humor britânico", ironizou o representante russo, frisando que as conclusões do inquérito "foram realizadas com base em informações pouco convincentes, com um uso abundante de palavras como possivelmente e provavelmente".

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.