sicnot

Perfil

Mundo

Polícia moçambicana sem informações sobre caso de dirigente da Renamo baleado

A Polícia moçambicana confirmou hoje o baleamento do secretário-geral da Renamo, Manuel Bissopo, na quarta-feira na Beira, centro de Moçambique, mas não tem ainda pistas dos atiradores, disse o porta-voz da corporação.

ANT\303\223NIO SILVA

Daniel Macuácua, porta-voz do comando da Polícia de Sofala, afirmou em conferência de imprensa que indivíduos desconhecidos e transportados em viaturas não identificadas dispararam três tiros de arma automática AKM contra a viatura Nissan Hardbody conduzida por Bissopo, ferindo o secretário-geral da Renamo e matando o seu segurança.

"[Manuel Bissopo] foi atingido nos membros superiores e inferiores", clarificou Daniel Macuácua, acrescentando que, depois de ter sido ferido, o secretário-geral da Renamo, continuou com o carro em marcha até à sede da delegação provincial do partido, na Ponta Gea, na Beira, de onde foi depois transportado para uma clínica privada.

Sobre a demora na evacuação da vítima mortal do tiroteio, Danuel Macuáca disse que se deveu ao tempo para se constituir a equipa multissetorial, que reúne a Polícia de Investigação Criminal (PIC), um médico legista e o procurador de piquete.

Questionado sobre a presença em grande escala da polícia no perímetro dos locais onde decorriam atividades da Renamo, incluindo o da conferência de imprensa que Bissopo realizou antes de ser baleado, Daniel Macuácua respondeu que "a presença da Polícia na via publica é de 24 horas por dia, para prevenir crimes", negando a presença de agentes a escassos metros do cenário do crime, segundo relatos de testemunhas.

Entretanto a Polícia, disse, continua a trabalhar para esclarecer o crime, que inclui as motivações do ataque, adiantando que todas as equipas especializadas estão no terreno.

O quadro clinico de Manuel Bissopo foi descrito hoje como "estacionário", segundo o porta-voz do partido, António Muchanga, depois de quarta-feira ter sido classificado como "preocupante", exigindo tratamento "intensivo e especial".

Ao contrário de informações que davam conta de que Bissopo tinha sido atingido no bairro da Munhava, um bastião da oposição, o incidente ocorreu no bairro da Ponta Gea, centro da Beira, após uma conferência de imprensa para denunciar alegados raptos e assassínios de quadros da Renamo.

Segundo jornalistas locais ouvidos pela Lusa, os atiradores, que se faziam transportar em duas viaturas, bloquearam o carro em que seguia Bissopo e abriram fogo

O guarda-costas do secretário-geral morreu no local, tendo outros que seguiam na viatura sofrido ferimentos ligeiros.

O porta-voz disse que a polícia está preocupada com a presença de armas de fogo e de guerra em mãos de pessoas alheias na província de Sofala.

Moçambique vive uma situação de incerteza política há vários meses e o líder da Renamo ameaça tomar o poder em seis províncias do norte e centro do país, onde o movimento reivindica vitória nas eleições gerais de 2014.

Afonso Dhlakama não é visto em público desde 09 de outubro, quando a sua residência na Beira foi invadida pela polícia, que desarmou e deteve, por algumas horas, a sua guarda.

Nos pronunciamentos públicos que tem feito nos últimos dias, Dhlakama afirma ter voltado para Sadjundjira, distrito de Gorongosa, mas alguns círculos questionam a fiabilidade dessa informação, tendo em conta uma alegada forte presença das forças de defesa e segurança moçambicanas nessa zona.

A Renamo pediu recentemente a mediação do Presidente sul-africano, Jacob Zuma, e da Igreja Católica para o diálogo com o Governo e que se encontra bloqueado há vários meses.

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, tem reiterado a sua disponibilidade para se avistar com o líder da Renamo, mas Afonso Dhlakama considera que não há mais nada a conversar depois de a Frelimo ter chumbado a revisão pontual da Constituição para acomodar as novas regiões administrativas reivindicadas pela oposição.

Lusa

  • Maria Cavaco Silva "muito espantada" com caso Raríssimas
    0:56

    País

    Maria Cavaco Silva disse hoje que ficou surpreendida e preocupada com as suspeitas de irregularidades na associação Raríssimas. A ex-primeira dama garante que desconhecia a situação e afirma que Portugal não é "abonado" ao ponto de poder desperdiçar o trabalho feito, lembrando que os utentes não podem sofrer com a polémica.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • "O futuro da Autoeuropa não está em causa"
    0:43

    Economia

    O secretário de Estado do Trabalho apelou a que os partidos não se intrometam nas negociações entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, Miguel Cabrita afastou a hipótese de estar em causa o encerramento da fábrica de Palmela. 

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28