sicnot

Perfil

Mundo

EUA recordam explosão do vaivém Challenger na preparação para ida a Marte

A agência espacial norte-americana (NASA) assinalou esta quinta-feira os 30 anos da explosão do vaivém espacial Challenger com a promessa de não esquecer os astronautas perdidos enquanto se concentra na missão tripulada a Marte.

Seis astronautas da NASA e Christa McAuliffe - que teria sido a primeira professora no espaço - morreram no desastre do Challenger, que explodiu 73 segundos após a partida, devido a uma falha num motor impulsionador.

Seis astronautas da NASA e Christa McAuliffe - que teria sido a primeira professora no espaço - morreram no desastre do Challenger, que explodiu 73 segundos após a partida, devido a uma falha num motor impulsionador.

BRUCE WEAVER / AP

No Centro Espacial Kennedy, na Flórida, de onde o vaivém partiu a 28 de janeiro de 1986, cantores interpretaram o hino nacional dos EUA para uma multidão que incluía parentes e amigos das sete pessoas que morreram nesse dia.

Segundo Bob Cabana, antigo astronauta e atual diretor do Centro Espacial Kennedy, a tripulação do Challenger "nunca será esquecida" e "continuará a motivar" aqueles que agora exploram o espaço.

Para o cemitério nacional de Arlington, na Virgínia, foi planeada a deposição de uma coroa de flores, como forma de a NASA assinalar as 24 vidas perdidas em desastres espaciais e voos de teste ao longo dos anos.

"À medida que empreendermos uma viagem a Marte, eles estarão connosco. Têm o nosso respeito, amor e gratidão eternos", declarou Charles Bolden, ex-astronauta e administrador da NASA.

Seis astronautas da NASA e Christa McAuliffe - que teria sido a primeira professora no espaço - morreram no desastre do Challenger, que explodiu 73 segundos após a partida, devido a uma falha num motor impulsionador.

Outro acidente grave teve lugar a 1 de fevereiro de 2003, quando sete pessoas morreram a bordo do vaivém espacial Columbia, que se desintegrou ao reentrar na atmosfera terrestre, a 16 minutos da aterragem, devido a um rombo numa asa.

A agência espacial norte-americana assinalou também a perda, em 1967, de três homens no incêndio da nave Apollo 1, e de Mike Adams, num acidente com um avião X-15, bem como de "todos os que pereceram em voos de teste e na pesquisa aeronáutica ao longo da história".

Pouco depois de assumir o cargo, o presidente dos EUA, Barack Obama, cancelou um programa da agência espacial para regressar à lua com vista a canalizar recursos para a exploração do espaço profundo - no âmbito da qual a NASA se tem concentrado na construção da cápsula Orion - e para ter uma missão humana a Marte em curso por volta de 2030.

Lusa

  • Seca contribui para a redução de nutrientes no mar e está a afetar a pesca
    2:11
  • Francisco George toma posse como presidente da Cruz Vermelha Portuguesa

    País

    O ex-diretor-geral da Saúde, Francisco George toma hoje posse como presidente da Cruz Vermelha Portuguesa. Em entrevista à Lusa, manifestou a intenção de criar uma unidade para abastecimento de água potável e redução dos problemas de saneamento em catástrofes como os incêndios deste verão. Além disso, em nome da transparência, vai tornar públicas as contas do organização, incluindo os donativos.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44