sicnot

Perfil

Mundo

ONU "alarmada" com alegações de abusos cometidos por capacetes azuis

O alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al-Hussein, declarou hoje que menores foram alegadamente abusados na República Centro-Africana por soldados estrangeiros, declarando-se "muito alarmado" com essas alegações.

Bangui, República Centro-Africana

Bangui, República Centro-Africana

© Reuters Staff / Reuters

Os supostos crimes, segundo um comunicado divulgado em Genebra, ocorreram principalmente em 2014, mas foram descobertos nas últimas semanas.

Uma equipa da ONU na República Centro-Africana entrevistou várias jovens que declararam terem sido abusadas sexualmente pelos soldados estrangeiros.

De acordo com quatro das jovens, com idades entre 14 e 16 anos no momento dos alegados abusos, os seus agressores pertenciam aos contingentes da força da União Europeia (Eurofor-RCA).

Três delas pensam que os seus agressores fazem parte do contingente georgiano da Eufor.

A equipa da ONU também entrevistou uma irmã e um irmão, com sete e nove anos, que teriam sido abusados em 2014 por membros das tropas francesas 'Sangaris'.

A rapariga disse que realizou atos sexuais com soldados franceses em troca de uma garrafa de água e um pacote de bolachas.

Afirmou que, tal como o seu irmão de nove anos, outras crianças tinham sido abusadas da mesma forma e também envolvendo vários soldados franceses.

Essas seis acusações, que implicam forças militares estrangeiras que não pertencem à ONU, tiveram lugar nos arredores e dentro do campo de deslocados internos de M'Poko, situado perto do aeroporto de Bangui.

No início de janeiro, a ONU anunciou já havia aberto uma investigação sobre novas acusações de abuso sexual contra soldados de três países que participam na Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana (MINUSCA). As alegadas vítimas são quatro meninas.

As Nações Unidas estão envolvidas num grande escândalo de violações de crianças envolvendo soldados franceses que serviam sob comando francês na República Centro-Africana.

Lusa

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.