sicnot

Perfil

Mundo

Cães ou gatos? Qual deles gosta mais de nós?

Um documentário que vai ser emitido na BBC2 intitulado "Cães vs Gatos" junta um especialista em animais Chris Packham e Liz Bonnin, neurocientista. Juntos descobriram qual destes animais gosta mais dos donos.

© Neil Hall / Reuters

Um documentário que vai ser emitido na BBC2 intitulado "Cães vs Gatos"

Um documentário que vai ser emitido na BBC2 intitulado "Cães vs Gatos"

Já se sabe que, à semelhança do homem, os cães libertam oxitocina, a hormona do amor. No entanto, este teste nunca foi realizado em gatos.

"É uma das formas de medir quimicamente o amor entre mamíferos. Os seres humanos produzem uma hormona no cérebro quando gostam de alguém. Quando vemos o nosso marido/mulher ou os nossos filhos a tensão arterial aumenta entre 40 a 60%".

"Que os cães gostam muito dos seus donos, disso não há dúvidas" explica Paul Zak um dos especialistas que conduziu o estudo. Faltava saber, com exatidão, quanto.

Então, os neurocientistas decidiram medir os níveis de oxitocina libertados pelos cães e agora, pela primeira vez, em gatos antes e depois de interagirem com os donos.

Recolheram saliva de 10 gatos e 10 cães em duas situações distintas: dez minutos antes da brincadeira e segundos após a interação com os donos. De seguida verificaram a quantidade de oxitocina libertada.

Resultado: os cães apresentam um aumento de 57,2% e os gatos apenas 12%. Em teoria, dizem os especialistas, isto pode querer dizer que os cães gostam mais dos seus donos que os gatos.

"Fiquei surpreendido quando verifiquei que os cães produzem níveis tão elevados de oxitocina. O aumento de 57,2% nos cães é uma resposta muito poderosa. Revela que os cães gostam mesmo dos seus donos. É também surpreendente perceber que os gatos também produzem oxitocina", diz Paul Zak.

Há estudos que revelam que os gatos não gostam dos donos e este estudo, pelo menos, prova o contrário.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.